04 julho 2016

Costa do Dendê, baixo sul da Bahia, é a região mais “temperada” do Brasil



Se não fosse o dendê o tempero baiano não seria tão famoso por seu aroma e sabor. O azeite de dendê tem um significado tão importante que os 115 km de praias, baías, recifes, rios, cachoeiras, manguezais e histórias do tempo colonial, entre Valença e Maraú receberam o nome deste fruto avermelhado: Costa do Dendê. Semelhante ao coqueiro, o dendezeiro agrega mais beleza as praias de águas transparentes, clima quente e areia branquinha. Porém, a Costa não se restringe apenas às maravilhas culinárias proporcionadas pelo dendê.

A Costa do Dendê está situada ao Sul da Bahia, entre o recôncavo baiano e o Rio de Contas, tendo como maior pólo turístico o Morro de São Paulo. Mas não é só isso. É também neste litoral exuberante que se esconde a terceira maior baía do país, a de Camamu. Região beneficiada por excelentes condições climáticas e exuberante vegetação, a Costa abriga ainda o belíssimo Arquipélago de Tinharé. A ilha é completamente cercada por manguezal e altamente piscosa. Os passeios de barco são uma boa pedida. A atual articulação do resgate histórico juntamente com o equilíbrio ambiental tem ressaltado tais belezas e o crescente potencial turístico.

Morro de São Paulo, Boipeba, Guaibim, Valença, Maraú e diversas outras localidades tornam este pedaço de terra e mar um paraíso. A biodiversidade leva o turista do mangue aos rios que dão voltas em ilhas separadas do continente por estreitos canais em um piscar de olhos. São atrativos que não acabam mais. É por esta riqueza natural juntamente com a força do dendezeiro e toda a história que carrega em suas raízes que a Costa do Dendê ostenta tamanha energia e magnetismo. As altas temperaturas e as chuvas são os motivos básicos da beleza verde do litoral e do clima gostoso do fim de tarde. Aqui, o negócio é relaxar com o barulho do mar e do vento batendo nas folhas dos coqueiros.

SOMBRA E ÁGUA FRESCA – Um dos sete pólos turísticos da Bahia, Morro de São Paulo é na verdade uma exótica mistura do rústico com o cosmopolita. Aqui, não existem carros, mas saboreasse pratos internacionais. Aqui é possível curtir uma praia deserta e dormir ao luar, ou badalar em festas, hospedando-se em requintadas pousadas e hotéis. Aqui, o verde-azulado do mar inebria até os olhos mais acostumados com belezas naturais.

No ano passado, este destino mais importante da região recebeu mais de 160 mil turistas. As praias não têm nome, são identificadas numericamente. A Primeira Praia é a mais povoada de pousadas e casas de veraneio, sendo ótima para a prática do surf. Quando a maré baixa, a Segunda Praia transforma-se em aquário, as áreas de barracas são demarcadas com coqueiros e plantas decorativas, e a noite, quem dá o “tom” são os luaus.

UM PARAÍSO ESCONDIDO - Pontilhada de ilhas, povoados e praias que encantam pelo ar de
paraíso e isolamento do mundo, Maraú não pode ser deixada de fora do roteiro do turista disposto a conhecer o que a Costa do Dendê tem de melhor. Entre as mais de oito opções de praia em Maraú, estão a de Barra Grande, onde as piscinas naturais são as marcas do lugar, há também a praia da Ilha do Campinho, dotada de uma boa infra-estrutura, a praia do Algodão, com 15 km de extensão e a praia de Saquaíra.

Quarenta quilômetros de praias primitivas, piscinas em arrecifes de coral, coqueiral, cachoeiras, ilhas e manguezal compõem o litoral da península de Maraú, em uma das extremidades da baía de Camamu. Aqui, a pedida é longas caminhadas para conhecer as praias que variam entre mar aberto e mar calmo. Para contemplar a paisagem o morro de Taipu é o ponto ideal e mais alto.

PRAIAS SEMI-DESERTAS - Separada da ilha de Tinharé pelo rio do Inferno, Boipeba tem 20 km de praias semi-desertas, ótimas para o banho. A única forma de chegar é de barco a partir de Valença, Morro de São Paulo ou Cairu. E por falar em Valença, cidade colonial do século 18, o lugar “esconde” valioso patrimônio arquitetônico, cultural e artístico. Já o patrimônio natural inclui 15 km de praias. Grande centro artesanal de construção naval localizada nas margens do rio Una, é em Valença onde se pode alugar escunas para passeios pelo arquipélago até Morro de São Paulo e Boipeba.

A história de Valença é revisitada diariamente pelos turistas que caminham despreocupadamente pelas ruas da cidade conhecendo, na seqüência histórica, o resultado do crescimento econômico com a criação do gado, a cana-de-açúcar, a fábrica de tecidos, até a criação do camarão em cativeiro, a indústria da construção naval, da pesca e do turismo. Dentro da cidade são muitos os pontos turísticos de visita obrigatória.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home