05 agosto 2011

Música, música & Poesia, poesia para dar ânimo ao dia

Espaço Liso (Paulinho Moska)


Eu amo a causa, e não a consequência

Eu amo o Pensamento, e não a inteligência

Eu amo a Loucura, e não a consciência

Eu amo a paciência, eu amo a paciência


Eu amo o deserto, e não a muralha

Eu amo o mergulho, e não a medalha

Eu amo suor, e não a toalha

Eu amo a batalha, eu amo a batalha


Eu amo a alma, e não a pessoa

Eu amo a cara, e não a coroa

Eu amo a corrida, e não a linha de chegada

Eu amo a estrada, eu amo a estrada


Eu amo o agora, e não a memória

Eu amo a luta, e não a vitória

Eu amo o fato, e não a história

Eu amo a trajetória, eu amo a trajetória


Eu amo o bem forte, e não o assim

Eu amo o papel, e não o cetim

Eu amo pra onde vou, e não de onde eu vim

Eu amo o meu meio, e não o meu fim.



A Tragédia da Cor (Wado e Realismo Fantástico)


Aê, my brother Sandro,

A vida não tá fácil

Eu que não tenho cor

Ando de trajes negros


Você bem sabe em que ponta

A corda sempre arrebenta


Mas ninguém sabe da dor

Da tragédia da cor

Negra


São sobreviventes, arestas, anomalias, fato

Fruto da exclusão social neoliberal


Eu escutei um tiro

A bala saiu da ponta

Da caneta do ministro

Do deputado, do senador

Que nunca que nunca abre mão

Da sua corrupção diária, rotineira


Aê, my brother Sérgio,

A vida não tá fácil

Eu que não tenho cor

Ando de trajes negros


Você bem sabe em que ponta

A corda sempre arrebenta


Não se percebe a doutrina de violência e ódio

Nas torcidas organizadas de futebol


Definição do Amor (Felix Lope de Vega - 1562-1635)

Desmaiar-se, atrever-se, estar furioso,

áspero, terno, liberal, esquivo,

alentado, mortal, defunto, vivo,

leal, traidor, covarde e valoroso;


não ver, fora do bem, centro e repouso,

mostrar-se alegre, triste, humilde, altivo,

enfadado, valente, fugitivo,

satisfeito, ofendido, receoso;


furtar o rosto ao claro desengano,

beber veneno qual licor suave,

esquecer o proveito, amar o dano;


acreditar que o céu no inferno cabe,

doar sua vida e alma a um desengano,

isto é amor; quem o provou bem sabe.



P e r d a ( H a g a m e n o n d e J e s u s)


Não se perde

o sol

que se esconde a cada dia

não se perde


O vôo

do pássaro, desconhecido,

de gaivota

andorinha: intenção sem rastros,

não se perde,

não se perde

uma só que seja das andorinhas.


Não se perde

o fruto

da goiaba

o fruto (mesmo se está

bichado ) da goiaba.



Na natureza,

a sua transformação,

nada

se perde, em verdade,

nem os ossos sem história.



Perda

só podem ser os nossos sonhos,

só podem ser os nossos desejos

indefesos

mais que o cair da tarde

mais que o cair da tarde.

-------------------------------------

Cau Gomes : 1º lugar em desenho de humor


O chargista Cau Gomes, que integra a Edição de Arte do jornal A Tarde, foi premiado em 1º lugar no 3º Festival Internacional de Humor do Rio de Janeiro. O artista venceu na categoria charge, com trabalho que retrata a relação entre a presidente Dilma Roussef e o PMDB. O júri do festival foi composto pelos cartunistas Chico Caruso, Nani, Jaguar e Amorim. (Fonte: A Tarde, 04/08/2011)

---------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Piedade), Galeria do Livro (Boulevard 161 no Itaigara e no Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (ao lado da Escola de Teatro da UFBA, Canela) e na Midialouca (Rua das Laranjeiras,28, Pelourinho. Tel: 3321-1596). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho, 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929).

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home