31 março 2014

Homenagens - 60 anos (04)



Interrompemos nossa Cronologia das Histórias em Quadrinhos por alguns dias para publicar essas homenagens dos amigos


Eu queria ser personagem de Cartoon...


“Que expressão se usa para falar de quem escreve? Falar do texto em suas cavidades emocionais,
tentando encontrar algo nas imagens que se refletem nas letras postas no papel? Dizer o que de quem imagina, cria, recria? De quem ao ler uma pequena nota é capaz de anunciar muito mais sobre o tema do que o próprio autor?

“Para escrever o ser humano teve que inventar, pesquisar... Por arrumar ideias em um papel, seja por palavras, imagens, charges, tiras, já se bagunçou e muito o mundo. Se cada um tem sua cruz, o escritor tem suas várias e variadas, refletidas na sua maneira de expressar seu cotidiano, o dos outros, o de ninguém, o de todos.

“Não tente definir quem define em sua arte o mundo. Passe para o próximo parágrafo e tente dizer o que é indelével, ágil, complexo, surreal, didático. Tente por entre aspas os substantivos e, eles subjetivos não expressarão ideias. Se nada disto adiantou pegue o dicionário e abra em qualquer página. Corra o dedo e pare em qualquer palavra. Leia e pronto. Achou o que procurava? Agora pode definir Gutemberg Cruz.

“Sim, mas se a palavra for uma expressão pouco comum? Ora dê a palavra para ele e veja o que ele irá escrever a partir dela. A genialidade da palavra é uma condição humana que a alma de alguns poucos as têm por liberdade de existência. Nada de formalismo, caduquice, realismo, elegância, pureza, valores, mas é tudo isto também ao mesmo tempo. Tudo é permitido para a alma que carrega como essência em si o mundo das palavras.

“Calma. O dia está a mil? Ele o escritor, jornalista, sabe por em marcha lenta o olhar e o espírito do seu leitor. Do mesmo modo se o mundo gira perfeito, na calmaria. Ele irá despertar arrumar um modo de incutir algo motorizado, veloz que irá tirar da inércia quem se arriscou a ler seu texto...

“O espectador do olhar do outro, o escritor, é um deus. Um mago para não ofender alguns que dirão que é exagero. Mas aviso: Perder-se muito por não acreditar nos exageros deste homem, escritor.

“Então voltemos ao dicionário. Vamos pular a página, correr o dedo em qualquer sequência de palavras. Achou que é preciso ser sempre belas ou bonitas as palavras que se diz a alguém? Pelo amor de Deus! Até no caos o escritor vê beleza, até no mais vivo aspecto destrutivo ele encontra vida. Pausa. Respire um pouco e se pergunte. Qual crise o escritor, jornalista não consegue prever? E ele mágico tira da sua cartola aquilo que nos acalenta, e nos conduz ao lugar seguro, a verdade.

“Não é imagem, letras, textos, sons que somados apresentem quem já escreveu e escreve a sua história e a da muitos ao seu lado. Só há uma só definição que possa apresentar quem tem este talento variável com as palavras: _____________________ deixe o espaço em branco. Não! Espere. Escreva algo. O quê? De tanta coisa que eu escreveria um delas seria: obrigado Guto por escrever parte da minha história. (Jesser Oliveira, jornalista).

A um amigo...

“Quando penso em ti, penso em mim também. Por quê? Porque já faz um tempo que você é boa parte de mim.
“Quando sinto você, sinto um menino, pulsando no corpo de um homem que muito já viveu, e que por isso mesmo, quer ser sempre menino para viver ainda mais. Para viver melhor.
“Quando amo você, amo feito sorvete refrescante em dias escaldantes de Verão soteropolitano.
“Quando olho pra você, vejo alguém que apesar dos medos, escolhe sempre a ousadia de ser feliz.
“Quando olho pra você, admiro alguém que prefere a loucura à realidade. Sábia decisão!
“Quando olho pra você, meu anjo pornográfico, de sorriso faceiro, de jeito maneiro, de alma infantil, de coração febril, percebo um homem que, apesar das grades, ferros e camisas-de -força diárias, luta incansavelmente pela liberdade.

“E não é uma liberdade qualquer: é a liberdade de ser você mesmo! Está aí a razão maior pela qual carrego você em mim por toda parte: desejo você, meu amigo, como quem deseja a liberdade.
“Você é essa coisa que chamam de “esperança”. E quantas vezes tenho recorrido a ti para reabastecer meu coração de esperança...
“Quando penso em você, penso em alguém que nunca ensinou covardias ao seu próprio coração. Alguém que sangra. Alguém que não se nega. Alguém que renasce sempre dos livros que lê.
“Preciso lhe dizer: você é um ariano torto, que parece viver sempre por um segundo. Um ser sem estação definida. Ora outono, ora inverno, quase sempre primavera e verão.
“Você é estado líquido. Água forte, que lava, inunda, transborda.
“Você é estado líquido sim! Uma mistura de lágrimas, sangue, gozo e saliva.
“Você tem coração de rio, mas sua alma é de mar.
“Esse mar que tantos já se banharam, e que eu, hoje, feliz, me ponho a banhar...” (Cathy Rodriguez, jornalista)


Ressaca até hoje

“Conheci o Guto em 1989 quando fomos apresentados para trabalhar juntos no MMI – Movimento Municipalista Independente liderado por Targino Machado (ex-prefeito), João Leão (atual deputado), Murilo Leite (ex-deputado), Severiano Alves (ex-deputado) Tiago Carvalho (atual vice-prefeito de Cardeal da Silva), Zelito (ex-prefeito de Serra Preta) e Josevaldo Lima (ex-prefeito de Serrinha). O MMI tinha como objetivo fortalecer o municipalismo na Bahia. Sempre excessivamente dedicado ao trabalho, em certa feita passamos o dia e parte da noite copiando material para divulgação no dia seguinte, o que nos levou a ter um derrame na visão provocado pela luz da copiadora.

“Outro fato interessantíssimo desta época foi uma grande molequeira que fizemos de passar para um dos veículos de comunicação um fax de 2,5 metros em papel preto só para acabar o toner do fax deles em resposta as perturbações que nos faziam.

“Passamos a trabalhar na UPB no ano seguinte e num belo dia em 1992, fomos à academia da cachaça pra conhecer o ambiente e lá o homem se empolgou e resolveu provar de todas as cachaças da prateleira pra ver qual era a melhor. O resultado só poderia ser o chamado ‘caixão e vela’! Acho que ele sente esta ressaca até hoje.

“Nestes 25 anos de convivência profissional e de amizade, temos muitas estórias pra relatar. Muitas estressantes e muitas engraçadíssimas e de ótimas recordações. Gutemberg Cruz Andrade, um cara impar, incomparável e insubstituível na sua forma de tratar seus amigos e colegas. Um cara difícil e fácil quando entendido e compreendido, um ser dotado de bondade, carisma e companheirismo. Um ser como poucos e como muitos. Como muito dos bons, dos que merecem nossa profunda admiração e eterno respeito”. (Joelson Azevedo, técnico da UPB, especialista em captação de recursos, financiamento municipal, SICONV)

-----------------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública), na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596) e Canabrava (Rua João de Deus, 22, Pelourinho). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929.
--------------------------------


 RED SHEEP COMIC

Atenção fãs de quadrinhos, mangás, jogos de RPG, Action Figures e estátuas colecionáveis. Salvador tem uma nova opção de compras: a loja Red Sheep Comic Shop.

A Red Sheep Comic Shop fica na Avenida Tancredo Neves, Edf. Salvador Trade Center (Torres Gêmeas) loja 32. Aberta de segunda a sexta das 10 às 20h, e sábado das 10 às 15h. Tels (71) 3341-8644 Vale conferir as estatuas colecionáveis das grandes sagas de cinema, games ou tevê.

Eduardo Gomes, proprietário da Red Sheep Comic Shop, loja especializada em quadrinhos e action figures, afirma que há uma procura forte desse tipo de produto pelo público soteropolitano.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home