12 março 2014

Cronologia das Histórias em Quadrinhos (41)



1952 (EUA)Surge a revista MAD, iniciativa de Harvey Kurtzmann e William C. Gaines. O humorescrachado, potencializando a sátira ao american way of life iniciada por Al Capp em Ferdinando, é a marca registrada da revista, que revelou artistas como Paul Coker Jr., Al Jafee, Jack Davis, Don Martin, Sergio Aragonés e Antonio Prohias. Da editora EC, a Mad foi uma das únicas que conseguiu escapar da censura do Código de Ética, graças a um expediente engenhoso: a revista saía no formato magazine, que não era afetado pelo código.


1953 (EUA)THE HEART OF JULIET JONES (O Coração de Julieta), de Elliott Caplin e Stan Drake, célebre HQ romântica.“The heart of Juliet Jones”, HQ do gênero romance/sentimental, começou a comover os corações mais durões em março de 1953, sob a forma de tiras diárias. No ano seguinte, também foi publicada em páginas dominicais. A trama girava em tornou da família Jones: a heroína Juliet, sua irmã Eva e do seu pai. Entre nós, foi chamada de “O coração de Vera Lúcia” ou “O coração de Julieta”, sendo publicada, além dos jornais, nas revistas “O Idílio” (números 13 e 83) e “Rosalinda” (a partir do número 25).



1953 (EUA) - O psiquiatra FREDERIC WERTHAM publica o polêmico livro A Sedução do Inocente, obra responsável por incitar acruzada antiquadrinhos, que, através de teses controversas, acusa as HQ de estimularem o crime, a violência e o homossexualismo (Wertham seria o responsável pelo famoso boato da homossexualidade do Batman).

1953 (ARGENTINA)SARGENTO KIRK, de Héctor Germán Oesterheld e Hugo Pratt. Oesterheld é considerado o mais importante roteirista argentino, e esta é apenas uma de suas obras realizadas ao lado de Pratt. Com efeito, a Argentina se torna o maior centro irradiador de HQ da América Latina, que seus artistas alcançam, ao longo do tempo, o reconhecimento do público;


1954 (EUA)COMIC CODE AUTHORITHY veio censurar e proibir os trabalhos de muitos artistasamericanos. Olobycontra os quadrinhos de serem parte de um plano comunista para corromper jovens e crianças. As editoras estabelecem o Comics Code (Código de Ética dos Comics), o conjunto de regras que bane das HQ conteúdos considerados impróprios, como a violência e o sexo. Sob esse código, as editoras deveriam submeter as revistas a uma análise antes destas irem às bancas. Com isso, desencadeia-se, de fato, uma verdadeira crise no mercado norte-americano, que piorou quando a maior distribuidora de revistas dos EUA faliu. A partir daí, as editoras que conseguem sobreviver à crise publicam historinhas insossas


1954 (EUA)HI & LOIS (Zezé e Cia.), de Mort Walker e Dik Browne (os personagens desta série aparecem pela primeira vez dentro das tiras do Recruta Zero. A série também é conhecida sob o nome Trixie).

1954 (JAPÃO) - Surge a revista NAKAYOSHI, um dos mais importantes títulos de mangá para garotas (shoujo mangá, estilo caracterizado pelas histórias românticas e sentimentais e pelo desenho esguio e estilizado), pela editora Kodansha. Esta revista foi precedida, no mesmo ano, pela Monthly Ribon, considerada a pioneira do gênero. Outros títulos shoujo importantes, lançados posteriormente, são as revistas Ribbon (lançada em 1955), Lala (1976) e Hana to Yume (1974).

1954 (FRANÇA) - FRANCK ET JEREMIE. Jean Giraud produziu sua primeira HQ: Lês Aventures de Franck et Jeremie, um western, editado por Marijac.

1955 (EUA)Com a criação do herói CAÇADOR DE MARTE, pela DC Comics, inicia-se a chamada Era de Prata dos super-heróis, marcada pelas reformulações de muitos personagens clássicos. Entre osbeneficiados, está o Flash, que ganha identidade (Barry Allen) e visual novos. Caçador de Marte apareceu pela primeira vez na história "The Strange Experiment of Dr. Erdel" em Detective Comics #225 (Novembro de 1955), escrita por Jack Miller e ilustrada por Joe Certa. J'onn J'onzz é um nativo de Marte, também conhecido como Ma'aleca'andra em sua língua nativa (uma referência a "Malacandra," o nome usado pelos habitantes de Marte na novela de C. S. Lewis, Além do Planeta Silencioso). No Brasil, durante muitos anos o personagem foi chamado de Ajax, o marciano.

1956 (EUA)Nos EUA, Jules Feiffer inicia uma série de anti-heróis, chamada simplesmente FEIFFER. Ex-assistente de Will Eisner, a obra de Feiffer, em sua boa parte, é caracterizada pelo pessimismo. Dentre suasHQ, também se destacam Munro e Passionella. Feiffer também é autor de livros infanto-juvenis, tais como Um Zoológico no Meu Quarto, O Homem no Teto e Na Beira da Estrada.


1956 (JAPÃO)TETSUJIN 28-GO (Gigantor), de Mitsuteru Yokoyama, mangá precursor do gênero mecha (com histórias envolvendo robôs gigantes e máquinas de combate), muito popular naquele país. Mas os mechas se popularizariam a partir de 1979, com Gundam, série de anime criada por Yoshiyuki Tomino e Hajime Yatate (que viraria mangá posteriormente);

-----------------------------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública), na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596) e Canabrava (Rua João de Deus, 22, Pelourinho). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929.




0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home