25 março 2014

Cronologia das Histórias em Quadrinhos (50)



1967 (EUA)FREAK BROTHERS, de Gilbert Sheldon, outro artista underground bastanterepresentativo. História de três maconheiros ripongas, que dividem o mesmo apartamento: Fat Freddy é um gordo com apetite colossal; Phineas, um tímido bicho-grilo, e o último, Freewhelin, um radical de esquerda que odeia o "sistema" e a política. Situações engraçadíssimas baseadas na tríade sexo, drogas e rock-and-roll.





Gilbert Shelton, um dos heróis da contracultura, marcou seu nome na história com os Fabulous Furry Freak Brothers – algo como os Fabulosos Peludos Irmãos Doidões – personagens símbolos de uma época, ou como diz um membro do grupo inglês Monty Phyton – marco do humor moderno – são os quadrinhos que inventaram os anos 1960.
 


1967 (BRASIL) – O professor José Marques de Melo funda o Centro de Pesquisas da Comunicação Social e desafia os alunos de jornalismo, na Faculdade Cásper Líbero, a inventariar o conteúdo dos gibis editados no país. O resultado dessa pesquisa foi divulgado no seu livro de estreia – Comunicação Social: Teoria e Pesquisa (1970).

1967 (BÉLGICA)VALÉRIAN, Agente espácio-temporal, de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières, na revista Pilote. A saga deste simpático agente responsável por patrulhar o tempo e o espaço juntamente com sua namorada Laureline tem contornos mais space-opera, com a presença de grandes impérios
galácticos (o da Terra, especialmente), aventuras cruzando o espaço sideral e a aparição de inúmeras culturas alienígenas, antropomórficas ou não, chegando até povos primitivos, barbáricos, pouco evoluídos, que precisam conviver com espécies capazes de construir tecnologias que parecem feitas de pura mágica.

1967 (ITÁLIA) Na revista Sgt. Kirk, aparece pela primeira vez o marinheiro CORTO MALTESE, criação de Hugo Pratt, cujos álbuns inauguram o chamado "romance em quadrinhos".


Corto Maltese é a grande criação de Hugo Pratt. Este marinheiro correu o planeta em aventuras estranhas, sempre acompanhado pela magia e pelo mistério de grandes enigmas da humanidade, misturando factos reais com uma vertente fantástica enorme. É muito natural encontrar Corto sobre a influência de cogumelos, viajando no mundo dos sonhos, tocando por vezes no mundo real.



1968 (EUA)O desenhista Neal Adams assume a arte do personagem Batman, devolvendo-lhes o aspecto sinistro, como em suas primeiras histórias.

1968 (ARGENINA) - CHE, biografia do guerrilheiro Ernesto"Che" Guevara, por Hector Oesterheld e Alberto e Enrique Breccia (essa HQ, no entanto, foi um dos motivos que determinaram o "desaparecimento" de Oesterheld pela ditadura argentina, em 1977. A obra foi apreendida, mas republicada recentemente).



Lançada originalmente em 1968 na Argentina, apenas três meses depois da morte do guerrilheiro nas selvas da Bolívia, teve papel essencial na popularização de Che como herói latino-americano. O sucesso do álbum foi estrondoso e deu início a uma terrível perseguição política aos autores. Em 1973 o livro foi proibido e a perseguição culminou, em 1977, com a prisão, tortura e assassinato, pela Ditadura Argentina, de Oesterheld e suas quatro filhas – uma história que chocou a Argentina e o mundo.
 


1968 (JAPÃO)GOLGO 13, de Saito Takao, o segundo mangá mais vendido de todos os tempos (atrás apenas de Dragon Ball). Surge a revista SHOUNEN JUMP, o mais conhecido título de shounen mangá do país, pela editora Shueisha nessa revista que surgiram os principais sucessos do mangá e, posteriormente, do anime japonês, como Cavaleiros do Zodíaco, Dragon Ball, Video Girl Ai, Yu-Gi-Oh!, One Piece e Naruto);

1968 (EUA) - ZAP, ALL NEW ZAP COMICS. Roberto Crumb lança, de mão-em-mão, o primeiro número de ZAP COMIX. De para começou a aparecer o head comix, HQ cabeça. Em 1969 o quarto número da revista ZAP é apreendida pela polícia.


A revista Zap Comix não foi a primeira publicação alternativa de quadrinhos, mas seu sucesso fez eclodir o movimento que consolidou o Comix Underground (o quadrinho alternativo norte-americano: comix diferencia-se dos comics comerciais) e seu criador, o abilolado Robert Crumb, é considerado o influenciador dos artistas que se preocupam em fazer quadrinhos fora das convenções do mainstream.
 


1968 (EUA) - MR. NATURAL . Criação de Robert Crumb. Barba longa, carequinha, uma bata sujinha como única vestimenta, Mr. Natural não é particularmente esperto ou sábio, não é especialmente intuitivo ou perspicaz, é ligeiramente tarado, escatológico e profundamente antiético. Ele distribui conselhos a um bando de seguidores à beira do retardamento
mental, e os conselhos são do tipo: "Quando acordar de manhã, você deve lavar os pratos da noite. Então cante uma melodia qualquer, de sua própria escolha. Então, chame por alguém - que não seja eu. Então vá até a mercearia e compre alguns aspargos".

1968 (FRANÇA) - SAGA DE XAM, Criação de Nicolas Devil. Extraterrena vem ao nosso planeta em diferentes épocas. Xam é um planeta habitado exclusivamente por mulheres. Para salvar a raça xamiana, a Grande Senhora designa Saga em missão à distante Terra, cujos segredos poderiam conter a chave da vitória. Em sua espaçonave de luz, Saga atinge a Terra em  plena época das cruzadas. A partir daí começam as aventuras de Saga através de um verdadeiro redemoinho espaço-temporal-visual, entre o surrealismo, a arte nouveau e o naturalismo desenvolve-se o desenho de Devil, explodindo nos poemas visuais do fim.

É um dos mais raros e autênticos exemplares de graphic novel psicodélica, sendo um símbolo artístico da segunda metade do século 20. As detalhadas páginas de Saga de Xam foram desenhadas em grandes quadros e, ao serem reduzidas ao tamanho de um livro, resultou-se na diminuição das letras e é necessário uma lupa para lê-las. 

O livro, impresso em papel de 300 gramas, é extremamente raro e muito valorizado ao longo dos anos por colecionadores de todo o planeta, mesmo por nunca ter sido reimpresso. Esta obra é relacionada à emancipação sexual feminina dos anos 60.

1968 (FRANÇA) - LA NEUVIÉME ART. Depois do movimento estudantil na França, a esquerda intelectual pegou nos comics underground dos EUA e a BD tornou-se conhecida como La Neuvième Art.

1969 (EUA) - FALCÃO. Sam Wilson adotou a identidade de Falcão, tornando-se o primeiro norte americano negro a virar super herói na Marvel. Suas aventuras ao lado do Capitão América trouxeram tanta popularidade que a editora resolveu dar um passo umtanto ousado para a época. A partir da edição 134 da revista do Capitão (fev. 1971), a série deixou de chamar-se simplesmente Captain America para virar Captain America and The Falcon. Para os complexos anos 70, marcados pela luta dos negros por direitos iguais, parecia a atitude correta que um personagem de ideais tão justas quanto Rogers cedesse espaço no título de sua revista e seu parceiro. Os heróis atuaram juntos sob esse título conjunto por mais de sete anos, até a edição 222, de junho de 1978.


1969 (JAPÃO)KOZURE OKAMI (Lobo Solitário), de Kazuo Koike e Gozeki Kojima (essa HQ, na década de 80, seria o responsável pela entrada dos mangás japoneses no ocidente), e DORAEMON, de Fujiko F. Fujio (pseudônimo usado pela dupla Hiroshi Fujimoto e Motoo Abiko), um dos mais famosos mangás infantis do Japão.

-----------------------------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública), na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596) e Canabrava (Rua João de Deus, 22, Pelourinho). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929.



0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home