08 janeiro 2014

Cronologia das Histórias em Quadrinhos (3)



1830 (FRANÇA) – Quando Charles Phillipon fundou La Caricature, primeiro jornal de caricatura do mundo, a charge foi definitivamente incorporada ao jornalismo. Foi nesse jornal que Daumier se destacou como um dos maiores caricaturistas de todos os tempos.

1831 (BRASIL) Com o Corcundão, surgido em Recife, nasce a caricatura em nosso país. O numero um saiu a 25 de abril.

1831 (FRANÇA) – Topffer cria Monsieur Jabot e M.Pencil.

1831 (BRASIL) – Na Bahia surge O Pereira no dia 28 de julho. Jornal humorístico, impresso na tipografia da viúva Serva & Filhos. Terminou em 12 de abril de 1832 com 26 números. Reapareceu em novembro de 1835 a 1836, dando mais três números. Outros jornais humorísticos que surgiram na Bahia nesse ano: O Pereirinha, O Paschoal, A Ronda dos Capadócios

1832 (FRANÇA) – Daumier é preso por criticar o rei na revista Caricature, onde despontava Phillipon.

1832 (INGLATERRA) – Fenaquistiscópio, de Joseph Plateau.

1832 (FRANÇA) – Surge a revista para crianças Le Journal des Jeunes Personnes, de Julie Gouraud.

1832 (BRASIL) – Na Bahia surge três jornais humorísticos: O Tola Fallador, O Papagaio e O Diabo Disfarçado em Urtiga.

1832 (BRASIL) – Hercules Florence começa a desenvolver experiências fotográficas pré-daguerreanas (Daguerre) na Vila de São Carlos, hoje Campinas, São Paulo.

1833 (FRANÇA) – Eugénie Foa lança Le Journal des Enfants.

1833 (BRASIL) – No dia 27 de março surge na Bahia o periódico humorístico, de pequeno formato, O Doudo nos seus lúcidos intervallos.

1834 (EUA) – Surge o desenho de Tio Sam.

1835 (ALEMANHA) – Wilhelm Busch cria os encapetados Max und Moritz (Juca e Chico, na tradução de Olavo Bilac), uma dupla de garotos encrenqueiros que morrem torrados no final da história ilustrada e serviria de inspiração para os lendários Sobrinhos do Capitão.

1836 (BRASIL) – No dia 12 de julho surge na Bahia O Pirajá, peri[odico semanal, chistoso e humorístico, de pequeno formato, com a seguinte divisa: “É dever amar a pátria, sustentando a liberdade”.

1837 (BRASIL) – Foi no Jornal do Comércio, de 14 de dezembro, às vésperas da Maioridade, que
apareceu um pequeno anúncio que dizia: “A bela invenção das caricaturas, tão apreciadas na Europa, aparece hoje peça primeira vez no nosso país e sem dúvida receberá do público aqueles sinais de estima que ele tributa às coisas úteis, necessárias e agradáveis”. Foi a primeira prancha satírica aparecida no Brasil. É atribuída a Manuel de Araújo Porto Alegre.

1839 (BRASIL) – Sob o título Caricaturista, são colocadas à venda, ao preço de 160 réis, estampas impressas na oficina litográfica de Frederico Guilherme Briggs.

1839 (FRANÇA) – Louis Daguerre inventa o daguerreótipo.

1840 (BRASIL) – Na Bahia surge mais três jornais humorísticos: O Censor (bi semanal com epigrafe “ridendo castigat moraes”), O Peru (de curta duração) e O Surucucu (pequeno formato que trazia o seguinte lema “eu só mordo a quem me pisa”).

1840 (FRANÇA) – Les voyages de M.Trottman, de Cham.

1841 (INGLATERRA)É lançada a revista de humor PUNCH. O moderno uso da palavra cartum (em inglês cartoon) foi criada em Punch. Tomou o seu nome da tradução inglesa de Polichinelo, personagem mundialmente conhecido, originário da Comedia della Arte italiana. Juntamente com o americano New Yorker, o francês Le Canard Enchainé, o alemão Simplicissimus, e o russo Krokodil, pertence ao reduzido grupo de publicações líderes do jornalismo internacional.

1842 (FRANÇA) – Musée Philipon, revista cômica que tenta a síntese do humor gráfico literário.

1843 (FRANÇA) – A. Lapierre comercializa a Lanterna Mágica.

1843 (EUA) – A firma Wilson & Companhia lança Obidiah Oldbuck, considerada a primeira revista de HQ publicada no mundo. Está guardado em cofre forte pela Sociedade de Antiguidades Americanas. Oldbuck, o herói das aventuras, procura conquistar uma princesa do seu tempo.

1844 (BRASIL) – Surge no Rio a Lanterna Mágica, também chamada periódico plástico filosófico, o primeiro jornal (em formato revista), a incluir junto ao texto caricaturas. Seu criador e colaborador mais importante foi Manuel de Araujo Porto Alegre.

1844 (FRANÇA) – L'historie de Jacques (ou d'Albert), de Topffer. Sátiras políticas.

1845 (BRASIL) – Para de circular a Lanterna Mágica.

1845 (ALEMANHA) – O desenhista Heinrich Hoffmann publica a primeira edição célebre Struwwelpeter, relatando as desventuras de um garoto descuidado e desobediente.

1845 (BRASIL) – Na Bahia é lançado o jornal humorístico A Marmota (21 de dezembro). Era redigido por Próspero Diniz. Trazia a seguinte divisa: “Sou pequenina, porém sou forte, digo a verdade, não temo a morte”. Próspero Diniz retirou-se para o Rio em 1849, para montar a Marmota na Corte, e veio a falecer na Bahia em 24 de novembro de 1852. A publicação terminou em dezembro de 1850, e nesse mesmo ano surgiu a Verdadeira Mrmota, como continuação da antiga. Em 1857 reapareceu de novo A Marmota com outra redação, e foi publicada até 1859.

1846 BRASIL) – Periódico humorísticos baianos: A Sovélla (redigido por Manoel Pessoa da Silva), O Meirinho, e Folhinha de Desenganos (redigido por Joaquim  José de Araújo).

1846 (EUA) – É lançado o primeiro semanário de imagens sequenciais, Yankee Doodle, o precursor das historietas.


1847 (EUA) – Rotativa de Robert Hoe para o jornal Philadelfia Ledger (10.000 p/h). Uma cópia da máquina de Koening.

1847 (EUA) – Os Trabalhos de Hércules, álbum de Gustave Doré.


1848 (FRANÇA) – Monsieur Réac, de Nadar.

1848 (FRANÇA) – Primeira semana cômica do Charivari, de Cham.

1849 (BRASIL) – No dia 08 de outubro surge na Bahia A Faísca, periódico humorístico com o seguinte lema “Aquelle que soffre com valor do mal, depois gosa do bem (novo methodo)”.

1849 (BRASIL) – Surge A Marmota na Corte, dirigida por Próspero Ribeiro Diniz e Francisco de Paula Brito. O periódico lança as suas primeiras caricaturas fora do texto.

1850 (BRASIL) – Periódico humorísticos que surgiram na Bahia: Pedro Malas Artes (bi semanal, critico e chistoso, parou de circular em 1851), Filho de Pedro Malas Artes (durou dois números), O Papagaio (para de circular em 1853), A Verdadeira Marmota (bi semanal ciom redação de Antonio Coelho Fragoso).

1850 (FRANÇA) – Gillot patenteia o primeiro processo de fazer clichês.

1851 (FRANÇA) – A vida dos santos em bandas verticais desenhadas.

1852 (BRASIL) – A Marmota na Corte, a partir de 04 de maio passa a denominar-se Marmota Fluminense.

1854 (BRASIL) – Da litografia de Heaton & Rensburg saem, nesse ano, oito números da Ilustração Brasileira. O nono e último é datado de janeiro de 1855 e o autor dos desenhos – assinados apenas com as iniciais F.M. - é atribuído a Francisco Moreau.

1854 (ITALIA) – Surge o jornal bilingue L'Iride Italiana que publica desenhos de humor assinados por S...& Cie, provável pseudônimo de Sebastien Auguste Sison.

1855 (BRASIL) – O francês radicado no Brasil Sebastien Auguste Sisson publica no jornal Brasil Ilustrado, cuja existência vai de 1855 ao ano seguinte, o que é considerado uma das primeiras história em quadrinhos publicadas no Brasil: Namoro, Quadros ao Vivo, por S... o Cio mostrando os costumes da época.

1855 (FRANÇA) – Fotos coloridas por estereoscópio.

1859 (ALEMANHA) – Primeiras histórias ilustradas por Wilhelm Busch.

1859 (BRASIL) – Com efêmera duração, aparece o Charivari Nacional. Destaca-se, porém, por ter sido – talvez – o primeiro órgão do gênero, a oferecer, publicamente, remuneração para os caricaturistas a que lhe enviarem colaboração.

1860 (BRASIL) – Lançada pelo alemão Henrique Fleuiss, nasce (em dezembro) a Semana Ilustrada, primeira revista humorística a ter vida regular no Brasil, prolongando-se sua existência, ininterruptamente, até 1876. Durou 16 anos.

1860 (BRASIL0 – Na Bahia é lançado o periódico humoristico O Diabo a Quatro. No ano seguinte surge O Diabo que parou de circular em 1862.

1862 (BRASIL) – Em primeiro de maio é lançado na Bahia o jornal humorístico A Matraca.

--------------------------------------------------------------


Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública), na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596) e Canabrava (Rua João de Deus, 22, Pelourinho). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929

1 Comentários:

At 11:30 PM, Blogger Dourado said...

olá

excelente matéria, já anotei alguns nomes pra pesquisa (vi aqui por intermédio de um amigo do facebook)

gostaria de acrescentar que em 1848 surgiu em Portugal o Suplemento Burlesco ao Patriota"

comentei a respeito aqui

http://agaqueretro.blogspot.com.br/2017/01/baloes-portugueses-em-1848.html

abraçoo


p.s. onde se encontram os periodicos baianos pra pesquisa online?

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home