18 fevereiro 2014

Cronologia das Histórias em Quadrinhos (30)



1940 (INGLATERRA) - Criada pelo inglês Donne Avenell (argumento) e pelo espanhol EnriqueRomero (arte) para as daily strips do London Express Feature, a louríssima AXA, A DESTEMIDA é amante da liberdade e vive na Terra pós-nuclear de 2.080. Inconformada por ter de viver no confinamento da Cidade Coberta, uma redoma que assegura a sobrevivência dos últimos humanos, a pin up de pele alva e seios fartos se entrega aos perigos da Grande Contaminação do exterior da abóboda. Lá, armada de uma espada e da infinita curiosidade feminina, ela descobre que, entre os escombros da tecnologia sucateada do século XX, estranhos mutantes como ratos e aranhas gigantes dividem o planeta com monstros pré-históricos e invasores extra-terrestres. As primeiras tiras da erótica Axa ganharam versão brasileira, reunidas em álbum pela Ebal.

1940 (EUA) – O arqui-inimigo de Batman, o Coringa também chamado de Palhaço do Crime, é um sádico de aparência bizarra e dono da reputação de ser o mais
perigoso personagem das HQs. Para o maníaco, cada transgressão que comete está baseado numa piada, geralmente de humor negro, quase sempre levando suas vítimas a morte ou ate a, literalmente, morrer de tanto rir. O vilão estreou na primeira revista título Batman, em março. Jerry Robinson é o desenhista e roteirista que o criou. As imagem do personagem do filme O Homem que Ri (1928) com o ator VConrad Veidt, inspira o visual do Coringa. O filme é baseado no romance do escritor francês Victor Hugo.

1940 (EUA) - Jack Cole (o criador do Homem Borracha) faz uma homenagem a Will Eisner com o personagem MEIA NOITE (Midnight). A série surgiu na revista Smash Comics, e chegou a sair no Brasil de 1941 a 1948, pelo Gibi.

1940 (EUA)KA-ZAR é uma criação de Bob Byrd e estreou em 1935, em revistas de contos. Aversão quadrinizada veio cinco anos depois, assinada por Ben Thompson. Na década de 70, o selvagem foi ressuscitado pela Marvel. Desta fase destacam-se os argumentos de Roy Thomas e Bruce Jones, e artes de Armando Gil, Neal Adams e Brent Anderson. Ka-Zar é conhecido dos leitores brasileiros desde 1940, quando figurou bno Gibi Mensal. Foi publicado também pelas editoras Paladino, Bloch e Abril. História: O lorde Kevin Plunder, cidadão britânico, decidiu apagar da memória sua vida civilizada. Após o assassinato do pai, cientista pesquisador do anti-metal, fixou residência na misteriosa selva pré-histórica que se esconde na Antártica -outra descoberta do pai. De sua amizade com Zabu, o último tigre dente-de-sabre, veio o nome Ka-Zar (filho de tigre, na língua dos homens-macacos das cercanias). Casado com a bela Shanna desde 1984, o bárbaro escapadasocasionais para Nova York, onde contracena com o Homem Aranha e outros heróis da Marvel.


1940 (EUA) - O escritor Bill Finger não gostava do fato de Batman estar sempre só, sem ter quem falar. Era maçante para ele escrever histórias com o herói apenas pensando. Batman precisava falar com alguém de sua confiança. Assim, o número 38 de Detective Comics (abril) trouxe uma surpresa aos leitores. Era ROBIN, um jovem companheiro para Batman. Além disso, com a criação de Robin, os jovens leitores podiam ter alguém com quem se identificar na historieta. E a presença do garoto também acabou por suavizar um pouco o enfoque das historietas. Batman havia se tornado uma personagem muito violenta, vingativa e sinistra para os padrões da editora.

Na primavera desse mesmo ano foi lançada o primeiro número da revista Batman. O herói passou então a estar presente em duas publicações. E foi nesse número 1 que apareceu The Joker. Criado por Jerry Robinson, baseado na figura de Conrad Veidt no filme The Man Who Laughs, The Joker tornou-se uma figura muito mais importante do que se pretendia. O propósito era matá-lo no final da segunda história, mas Finger teve que reescrever o final da narrativa, por ordem do editor, para manter viva a sinistra personagem, programando-a para novas aparições.

1940 (BRASIL) – Batman faz sua estreia no Brasil pouco mais de um ano após seu lançamento nos EUA nas páginas do n.07 de O Lobinho, revista do Grande Consórcio de Suplementos Nacionais, de Adolfo Aizen. Lobinho foi uma das mais importantes publicações de nossa história editorial. Fundado em 1938, circulou até 1940 em formato tabloide, tornando-se revista mensal a partir de maio de 1940 e sobrevivendo até o começo da década de 1950.
-----------------------------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública), na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596) e Canabrava (Rua João de Deus, 22, Pelourinho). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home