17 fevereiro 2014

Cronologia das Histórias em Quadrinhos (29)




1940 (EUA) – Walt Disney lança sua obra mais aplaudida e atacada: Fantasia. Ele considerava tão
importante o som de Fantasia que criou na época um sistema estereofônico inédito, por ele chamado de Fantasound, pronunciando as inovações de um som estereofônico dos anos 50.

1940 (EUA) – Os irmãos Fleischer fizeram uma versão animada de Ferdinando, série de Al Capp.

1940 (EUA) – Jerry Siegel e Bernard Baily criam O Espectro para o n.52 da revista More Fun, da National Periodical (hoje, DC Comics), em fevereiro.

1940 (BRASIL) – Um francês introduz o daguerreótipo no Brasil: o abade Compte, que fez várias demonstrações no Hotel Pharoux, no Rio.

1940 (BRASIL) – Na Rádio Nacional (RJ) e na Record (SP), começa a ser irradiado o Reporter Esso. Vai ao ar, também na Nacional, a primeira novela: Em Busca da Felicidade, do cubano Leandro Blanco e patrocinada pelo creme dental Colgate.

1940 (EUA) – Mel Graff passa a desenhar o Agente Secreto X-9.

1940 (EUA) – Tex Avery dirige o desenho animado A Wild Hare, com o coelho Pernalonga.

1940 (EUA) – Jack Cole (o autor de Homem Borracha) cria Demolidor.

1940 (ITALIA) – Benito Jacovitti publica no jornal Vittorioso, a historieta Pippo e Gli Inglesi. Os personagens eram Pippo, Pertica e Palla.

1940 (EUA) – Aproveitando o sucesso de Namor, o Príncipe Submarino, de William Blake Everett, Bill Everett lança Hydroman para a revista Heroic Comics sem muito sucesso.

1940 (EUA) – Gavião Negro (Hawkman) surgiu em janeiro, no primeiro número da revista Flash Comics. Criado por Gardner Fox, esse personagem era reincarnação do príncipe egípcio Knufu, usava um capacete que parecia um bico de gavião e tinha imensas asas que mais pareciam de pelo do que de penas. Dennis Meville desenhou as três primeiras aventuras, passando o pincel para Sheldon Mordoff, que a torna a mais bem desenhada história da DC na época. A companheira de Gavião Negro, Shiera Sanders, só apareceu no n.24, formando uma das primeiras duplas das HQs, Eles usavam como armas machados, boleadeiras, maças, lanças e escudos. Depois como administrador de um museu na identidade secreta de Carter Hall, Gavião Negro tem maiores opções na hora e escolher com o que lutar.

1940 (EUA) No dia 02 de julho no diário The Detroit News começa a veicular a série The Spirit, de Will Eisner.

1940 (EUA) - SOCIEDADE DE JUSTIÇA DA AMÉRICA. Sheldon Mayer e Gardner Fox criam aSociedade de Justiça da América na revista All-Star Comics nº3 iniciando uma nova tendência nos gibis: diversos heróis na mesma aventura. Começou com oito (Flash, Lanterna Verde, Gavião Negro, Sandman, Dr Fate, Spectro, Atom e Hourman). Batman e Superman aparecem juntos aqui pela primeira vez. Foi precursora de equipes como a Liga da Justiça (DC Comics, que aparece em 1960) e os Vingadores (Marvel, que aparece em 1963);


1940 (EUA) – Charles Jobes usa novamente o coelho no desenho Elmer's Candid Camera, numa luta contra o caçador Hortelino Trocaletras (Elmer Fudd). Mas é em A Wild Hare, dirigido nesse mesmo ano por Tex Avery que, nas palavras de Jones, “o coelho primitivo passou a ser o verdadeiro Pernalonga”. Agora o coelho não fugia temeroso e era muito seguro de si. Quando Hortelino enfia sia espingarda na toca do coelho, ele se debruça sobre a arma, mastiga sua cenoura e diz, bem cínico: “O que há, velhinho?”. Foi, enfim, Tex Every quem moldou os traços gerais do caráter do coelho, em mais quatro cartoons que fez na Warner: Tortoise Beats Hare, The Heckling Hare e All This and Rabbit Stew, em 1941, e Crazy Cruise, em 1942, em que Pernalonga se engaja na campanha de propaganda militar contro o Eixo durante a Segunda Guerra Mundial.

1940 (EUA) – O magazine americano de ficção científica Planet Comics n.1 publica em janeiro Auro. Aparentemente fracassada, a saga foi cancelada após alguns meses para ressurgir em 1946 na mesma revista, apresentando um conceito diferente de reencarnação. Idealizado por Dick Charles, o bárbaro habita o planeta Jupiter, mas seu corpo etéreo vem do terráqueo Chester Edson – cujo corpo físico encontra-se em coma, devido a estranhas experiências médicas. O alienígena core perigos constantes, combatendo facções bélicas contrárias ao seu governo. Se Auro morrer, o mesmo acontece com Chester.
 
1940 (EUA) – William Hanna e Joe Barbera criam Tom (a princípio chamado Jasper) & Jerry, e se
cercam de um time de grandes animadores. Tom & Jerry eram o desenhos mais caprichados tecnicamente de sua época. Eram também os mais rápidos e os mais violentos. A questão da violencia foi longamente discutida entre Hanna, Barbera e a MGM. Tom seria submetido a toda espécie de desastres, nas suas tentativas de capturar Jerry, mas, por mais cruel que fosse o tratamento que o rato lhe dispensasse, reapareceria sempre ileso no fragmento seguinte. Tom teria de despertar medo, mas também piedade, e Jerry deveria ser querido, apesar de inevitavelmente vencedor. As crianças assimilariam bem aquela violência – achavam eles -, porque, comparativamente, ela ainda seria menor que a dor dos filmes dos Três Patetas.

1940 (EUA) – Bill Finger e Mart Dellon criam na revista All American Comics, Green Lantern (Lanterna Verde). Suspenso por volta de 1950, reaparece em 1960. Lanterna Verde é o representante terrestre de uma raça de grandes galácticos, os Guardiões do Universo. Seus poderes são provenientes de uma lanterna de luz verde.

1940 (AUSTRÁLIA) – Georg Needhan cria Bosun and Choclit Funnies.

1940 (EUA) – A partir de maio, Austin Briggs foi encarregado de criar as tiras diárias de Flash Gordon (que ainda não existiam), concentrando-se Alex Raymond apenas nas aventuras dominicais do herói. Alex manteve-se neste trabalho até fevereiro de 1944, quando alistou-se na Marinha dos EUA, participando da Campanha do Pacífico. O King Features porém, precisava continuaras páginas dominicais de Flash Gordion e Austin Briggs assumiu o lugar do seu mestre. Para isto, entretanto, desativaram-se as tiras de Flash Gordon em jungo de 1944.

-----------------------------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública), na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596) e Canabrava (Rua João de Deus, 22, Pelourinho). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home