05 agosto 2013

Bairros de Salvador (11)




JARDIM DAS MARGARIDAS


Os primeiros moradores do Jardim das Margaridas chegaram na década de 1980. As casas grandes e avarandadas, sítios e chácaras e um certo ar bucólico, o local mais se assemelhava a um vilarejo do interior. A tranquilidade era tanta que os moradores colocavam cadeiras nas calçadas e ficavam conversando até tarde. Situado após o bairro de São Cristóvão, em Salvador, e vizinho o bairro de Itinga, em Lauro de Freitas.

No início era uma fazenda que deu lugar ao Conjunto Residencial Jardim das Margaridas, construído para petroleiros. O bar O Varando, o primeiro a se instalar no local, com música ao vivo, ainda funciona. O Margarida é um dos quatros campinhos de futebol do conjunto usados nos finais de semana. E a praça espera revitalização por parte dos órgãos públicos.

LIBERDADE
 
O bairro foi o caminho das tropas vitoriosas nas lutas pela libertação de Salvador do domínio português. Era chamada Estrada das Boiadas. A população é estimada em 187.447 habitantes, somando-se as áreas como Pero Vaz, Caixa d´Água, Pau Miúdo e IAPI. Mas a população do bairro, tomando-se como parâmetro a primeira casa da esquina da Praça de Soledade até o Largo do Tanque, é de 39.322 habitantes (Censo 2000). Nos seus domínios estão a famosa Lapinha, o Largo do Sieiro, o bairro Guarani, a Rua do Curuzu, onde fica a sede do bloco afro Ilê Aiyê, e tantos outros pontos tão falados. Local da ebulição dos blocos afros, tornou-se conhecido como o mais negro bairro de Salvador.

Os dois cinemas que o bairro teveo cine Brasil e o São Jorgefecharam as portas. O bloco afro Ilê Aiyê, fundado em 1974, deu à Rua do Curuzu um status de bairro dentro da Liberdade.

A principal via de tráfego da Liberdade está ligada aos eventos da independência da BahiaAvenida Lima e Silva, o nome é uma homenagem ao comandante das tropas que lutaram entre o domínio português, consolidando a recém-proclamada Independência do Brasil de Portugal. É o centro do comércio intenso da Liberdade, onde se acha tudo.

Com a função de interligar o bairro da Liberdade à Calçada, na chamada Cidade Baixa, existe o Plano Inclinado, inaugurado no início da década de 80. Ao lado do plano, fica a Praça Nelson Mandela. o colégio Duque de Caxias faz parte da rede estadual de ensino e começou a funcionar em 25 de agosto de 1938, e é um dos mais tradicionais e conhecidos colégios públicos da cidade.

Um dos pontos tradicionais do bairro é a Feirinha do Japão, que funciona todos os dias da semana, sem horário específico, fazendo jus à diferença de horários entre o Brasil e o Japão. Lá é possível encontrar variedade de frutas e legumes. Já a Escola Abrigo Filhos do Povo, no bairro Guarani, funciona no sistema público municipal, oferecendo cursos de primeira a quarta série.

--------------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública) e na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home