30 julho 2013

Bairros de Salvador (7)



CIDADE JARDIM

Cercado pelo Candeal e com o Itaigara à sua frente, o Cidade Jardim possui duas ruas de acesso. Aprincipal, onde está o portal com o nome do bairro, na Avenida Juracy Magalhães, transversal da Leonor Calmon. E uma segunda que no Candeal Pequeno. O terreno onde foram construídos os prédios exuberantes da classe média alta, pertencia a OAS Empreendimentos. Em 1989 foi loteada com o nome de Parque da Cidade, logo depois ratificado por decreto para Cidade Jardim. O pequeno bairro, de 147.4999,38 metros quadrados, tem poucas ruas - todas com identificações, modernas de luxo.


COMÉCIO

Essencialmente criado para serviços, o Comércio, tem certo charme. As ruas planejadas, as praças, monumentos e prédios contam a história da cidade. Basta lembrar que o local abrigou o primeiro porto da América Latina, que foi considerado o maior do Atlântico Sul e era o único centro comercial, industrial, portuário da província e ainda é o principal aceso de mercadorias da cidade. A exportação de cacau foi a primeira atividade, mas a marca do bairro predominante é a variedade de serviços em um lugar. No ramo der tecidos, Florensilva, A Fonseca, Casa Moraes e Tecidos Carvalhos. Lojas como A Lâmpada, Chapelândia, Alfaiataria Londres ainda são fortes como imaginário de testemunhas da época Isso sem contar com os escritórios de advocacia, relojoarias, grandes importadores e tantas outras atividades. Existe um projeto de revitalização que tem o propósito de retomar a importância do bairro.

O Comércio é o reduto de casas tradicionais com extensa lista de fregueses fiéis: Confeitaria Colombo e seu bolo de carimã, o Restaurante Maria de São Pedro e Camafeu de Oxóssi, o malassado baiano continua liderando no  Colón para os 300 clientes diários, ou o sanduiche de pernil no Rei do Pernil ou a cerveja mais gelada do bairro no Bar A Boca. E os pontos turísticos do local como o Plano Pilar, inaugurado em 1897, liga os bairros do Pilar e Santo Antônio Além do Carmo (Cidade Alta), o Plano Gonçalves (ou Guindastes dos Padres) que une a Praça da ao Comércio. Uma criação dos jesuítas no século 17. O Elevador Lacerda, construção de 1873 que faz a viagem da Praça Thomé de Souza à Praça Cayru em 30 segundos. A Basílica Nossa Senhora da Conceição da Praia, pré-fabricada em Portugal e montada em 1765 ou mesmo o Mercado Modelo, prédio de estilo neoclassico construído em 1861 e tombado pelo Ipham em 1961.

CORREDOR DA VITÓRIA

Um dos menores bairros das cidade, com pouco mais de 1 km de extensão, mas o metro quadradomais caro do Norte e Nordeste. Composta de uma avenida (Avenida Sete de Setembro), três pequenas transversais, um largo e um beco, carrega a fama de ser um dos lugares mais nobres da cidade. Desde o comércio do século 19, o extenso corredor., coberto por árvores centenárias, passou a ser povoada pela alta burguesia da época. O bairro sempre atraiu a elite baiana. O Cerimonial Solar Cunha Guedes oferece diversas opções de locação para eventos. Entre os atrativos do bairro estão o Instituto Cultural Brasil Alemanha (Icba), Associação Cultural Brasil EUA (Acbeu), o Museu de Arte das Bahia (construído nos anos 1920), o Museu Geológico da Bahia com o Cinema de Museu, a Galeria Paulo Darzé, Museu Carlos Costa Pinto, a Igreja Nossa Senhora da Vitória (construída no século 16) e muito mais. Verdadeiro corredor cultural com bares, teatro, pousadas, museus, cinema e galeria de arte.



DORON

De conjunto residencial, ganhou autonomia, tornou-se independente até ser considerado bairro. Doron, na verdade Cabula IX, fica encravado entre Narandiba e tem ligação com a Avenida Paralela através da Avenida Edgard Santos. Na sua frente está o bairro do Cabula. No fundo, o Conjunto Saboeiro. O bairro se inicia na Rua Eugênio Ribeiro, a entrada para o conjunto. A partir dela, seguem-se outras, por onde se espalham pontos comerciais, que fora surgindo para suprir a necessidade dos moradores. Construída na década de 1980, foi batizado com o nome da construtora responsável pelas obras, a Construtora Doron, que dirigiu o conjunto em Doron A e Doron B. No local existe o Centro de Saúde Doron. A localidade conta com padarias, mercadinhos, salões de beleza, farmácia, ian houses, Shopping Doron, consultório dentário, escritório de contabilidade, lojas de roupas, informática, borracharia, igrejas católicas e evangélicas, escolas estadual e particulares e o Centro Centro Municipal de Educação Infantil Olga Benário. Mas os moradores querem áreas de lazer pois a única opção é um campo de futebol.
-------------------------------------------------


Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública) e na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929)

2 Comentários:

At 4:27 PM, Anonymous Anônimo said...

Olá Gutemberg!

Sou Adriana, estudante do mestrado em História da Ufba e pesquiso sobre humor na Bahia no final do século XIX. Vi algumas matérias sobre o tema aqui no seu blog e gostaria de entrar em contato com você. Tem algum e-mail para que eu posso fazer isso?

Aguardo resposta.

 
At 4:43 PM, Anonymous Anônimo said...

Adriana

Meu e-mail é
gutecruz@bol.com.br;

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home