24 julho 2013

Bairros de Salvador (3)



BAIRRO DA PAZ

Localizado na zona norte de Salvador, os imigrantes da área rural se uniram em 1982 para a
construção do Bairro da Paz. As interdições na Avenida Luís Viana Filho (Paralela) eram constantes, por isso mesmo o primeiro nome: Malvinas, comparação à guerra travada entre a Argentina e Inglaterra pela posse do arquipélago de mesmo nome. Em 1988 uma assembleia na Praça das Decisões definiu o nome para Bairro da Paz. As lutas amadureceram o espírito de união e organização em prol do coletivo. E hoje o lugar ainda preserva a característica que garantiu sua sobrevivência: a união. Agindo em grupo, os moradores conseguiram melhorias para o bairro e dão exemplo de organização. Vista logo na principal entrada, pela Paralela, nas cores verde, azul e branca, a bandeira traz uma pomba e a frase: A Paz se faz. O desenho foi escolhido através de um concurso entre jovens do bairro em 2005.

BOCA DO RIO

Suas ruas são estreitas e tortuosas. Foi nas imediações da foz do hoje poluído Rio das Pedras, perto da rede do Esporte Clube Bahia, onde existia, nos anos 40 do século passado, um aglomerado de pescadores, que surgiu a Boca do Rio. A proximidade da foz deu origem à denominação. O bairro se adensou. O Alto do São Francisco abriga uma igreja de mesmo nome. Na marginal da Avenida Octávio Mangabeira há enfileirada uma variedade de bares e restaurantes que alterna o luxo e o pobre. No alto da Estrada do Curralinho está a Praça da Mãe Preta e marco de onde a duna coberta de vegetação separa os prédios do Imbuí da janela que se espraia do lado do oceano. O bairro já foi o preferido da boemia e da elite cultural, que não dispensava o banho de mar na Praia dos artistas.

BONFIM

Como em toda a Península de Itapagipe, o bairro do Bonfim contrasta com os tempos modernos ao manter o clima bucólico e as mesmas características de 50 anos, quando residências de arquitetura moderna, a maioria de dois pavimentos, abrigava uma significativa parcela das classes média e alta da cidade. Essas casas foram construídas na planície que se espraia no sopé da Colina Sagrada, conhecida como Baixa do Bonfim,e, também, do lado da Baía de Todos os Santos, no chamado Belvedere do Bonfim. Uma das marcas do Bonfim é a de seu centro de romarias e de turistas de todo o mundo. A festa em louvor ao santo maior da Bahia, que acontece em janeiro, tem o seu ponto alto na quinta-feira da lavagem. O comércio sustentado pela fez proliferar inúmeros ambulantes no entorno do templo, que, entre outras coisas, comercializam as famosas fitinhas do Senhor do Bonfim. ainda as tradicionais casas de objetos religiosos que funcionam junto à igreja.

O clima praiano é outro ponto positivo destacado pelos moradores do Bonfim. As águas serenas da Baía de Todos os Santos oferecem o prazer de um banho de mar ou de uma caminhada ao longo da Avenida Beira Mar, que margeia o oceano entre o Bonfim e a Ribeira. Ponto mais alto da Cidade Baixa, a Colina do Bonfim sempre foi um local de convergência religiosa. Visível de quase toda a encosta de Salvador, a Igreja do Bonfim, do alto da colina, funciona como uma sempre presente guardiã de toda a cidade. A imagem sagrada do Senhor Crucificado, medindo 1,06 metros, foi esculpida em Portugal. Os vários mirantes existentes no Adro do Bonfim oferecem vistas indescritíveis.
-------------------------------------------

Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública) e na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929)

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home