26 abril 2013

De volta ao passado (3)



ROTINA

Muitos colegas estranham essa minha mania de seguir, diariamente, de ritual. De segunda a sexta, sempre aquela rotina. Sábado e domingo dedicados a leitura e ao cinema (e/ou video). Uso de rituais cotidianos para que a vida entre numa trilha mais ordenada. No começo pode parecer que esses rituais parecerão chatos demais, e inúteis, mas se provação eficientes na medida em que você os preservar assim, cotidianos. Mas essa prática, vou logo avisando, é a minha, cada um faz de seu cotidiano o que melhor

Sei que na terra do axé, a prática sagrada da arte da despreocupação é tom corrente, mas não uso esse expediente, sigo outros caminhos, trajetórias, rios. Será um desvio: Não sei, sei que não transformo mais sonhos, minhas crenças. A cada nascer do sol é um novo dia e forças renovadas. O importante é saber como você vai lidar com essa realidade.

Mudar planos não é problema, mesmo contrariando a todos. O problema é você assumir a liberdade de mudá-los, e fazê-los contrariando as opiniões, todas sensatas, de que você não deveria fazer isso. Quando as pessoas começaram a criticar você por ter mudado de opinião e perspectivas, lembre a eles, que é muito melhor ter uma opinião que possa ser mudada do que não ter nenhuma, ou do que resistir à inevitável transformação de tudo.

È bom idealizar situações de rara beleza. Mas o melhor é dar um passo na direção de experimentar essas idealizações. Idealizar é bom, mas transformar isso em realidade é bem melhor. As grandes mudanças não se operam repentinamente, mas pela inclusão de hábitos que, repetidos sistematicamente, somam-se uns aos outros e, aí, quando você menos espera, sua vida não é mais a mesma de antes.

Proceda de acordo com suas convicções, pois enquanto a razão sensata manda assegurar-se ao máximo antes de dar cada passo, a emoção encaminha sua alma por meio de desígnos tortuosos. Respire fundo, pense, reflita e depois aja. Cuidado, pois você percebe a verdade por trás das aparentes emoções quando se atrever a experimentá-los.              

Mas é bom lembrar que nem todas as pessoas seguiam por exigências tão grandes quanto as que sua alma faz a respeito da vida. Por isso, elas nunca vão conseguir entender muito bem porque você reclama tanto. Nos dias atuais a mediocridade foi elevado ao status de representação democrática da realidade, e o talento criativo, que é a própria essência do coração humano, foi se atrofiando ao longo dos anos. Todos sabem que o poder corrompe, e que a boa política é a da subserviência ao império do lucro. E todos seguem essa cartilha. Raul Seixas numa velha canção cantava:Eu é que não me sento no trono de um apartamento com uma boca escancarada cheia de dente esperando a morte chegar(Ouro de Tolo).

Estabelecer prioridades e ir em busca deles é um bom motivo para continuar na atividade, mas sempre observando a satisfação de quatro necessidades básicas: físicas, mentais, sociais e espirituais. É preciso cuidado e atenção em cada uma delas para reencontrar o equilíbrio, Venho observando todo esse tempo como as pessoas aqui em nossa terra tem mania de atrasar compromissos, seja no trabalho, no lazer ou mesmo na vida. Atrasa-se para uma festa ou algum evento social, ou mesmo no trabalho talvez seja aceitável aqui entre nós, o que acho um absurdo. Mas isso é considerável ofensa, insulto em outros países.

Aqui em Salvador, por exemplo, era comum tanto o artista atrasar por longas horas o show assim como o público chegar atrasado no espetáculo. Diante de tantos problemas, a direção do Teatro Castro Alves resolveu implantar um tipo de comportamento civilizado. Isso porque nós da imprensa martelávamos o tema toda vez que havia show. O artista não poderia mais atrasar o espetáculo sob pena de multa e o público também teria limitado seu tempo de atrasar a entrada para o espetáculo. Essa atitude demonstrou uma mudança de comportamento na sociedade local. E a síndrome do atraso começou a diminuir. Sabem que todo mundo deixa para depois algumas coisas, mas na hora em que precisa, acaba correndo atrás para não se prejudicar.


Canções da música popular que ouço o tempo todo (Vol.10)
 
Sonhos, Monique Kessous (Monique Kessous)
Vem, Vanessa da Mata (Essa Boneca tem Manual)
O que é o que é, Zizi Possi (Sobre Todas as Coisas)
Come as you are, Caetano Veloso  (A Foreiger Sound)
O Baixo, de Silvia Macheti (Extravaganza)
Palhaço, Egberto Gismonti (Circense)
Life Gods, Gilberto Gil (Duetos)
Mais alguém, Roberta Sá (Que belo estranho dia pra se ter alegria)
Pétala, Djavan (Pétala)
Vírus do amor, Rita Lee (Rita e Roberto)
.............................................................................
A RV Cultura e Arte comemora 
05 anos de existência. 
É a única em Salvador especializada 
em quadrinhos e também 
arte moderna, jovem, experimental.
Vale dar uma conferida.
O tratamento ao cliente é inovador.
Confira!!!!


 Ah, e o pessoal da RV recebeu
as miniaturas da Marvel.
Para deixar colecionar
ouriçado......





--------------------------------------------------- 
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública) e na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929)

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home