14 novembro 2012

O negro nas histórias em quadrinhos (08)

Em 1941 surgiu Whitewash Jones (Cal Jones), primeiro personagem negro de destaque da Timely Comics que fazia parte de uma equipe de jovens heróis chamada Young Allies (Jovens Aliados), equipe essa que tinha entre seus membros os sidekicks do Capitão América (Bucky) e do primeiro Tocha Humana (Centelha). Whitewash era salvo pelos poderosos parceiros jovens, além de garantir gargalhadas com seu jeito atrapalhado. Em junho de 1947 foi lançada a revista All Negro Comics destacando os personagens Ace Harlem, criado pelo desenhista John Terrell. Ace era um detetive particular negro que investigava crimes no bairro do Harlem, em New York. O outro era Lion Man, desenvolvido pelo irmão do jornalista Orrin C.Evans, George J. Evans Jr. Lion era um jovem cientista americano que é enviado pela ONU pra investigar uma misteriosa montanha mágica na Costa do Ouro. Ao chegar ao local, descobre que a montanha era uma gigantesca mina de urânio. Lions permanece no local para proteger tal reserva.

No final dos anos 50 e início dos 60 do século XX o Movimento Negro começava a tomar as ruas dos EUA, reivindicando a melhoria da condição de vida dos afro-americanos. As crescentes manifestações tomavam cada vez mais os jornais, principalmente por serem suprimidas de forma violenta pela polícia em diversas ocasiões. Nesse panorama, diversos grupos foram fundados, trazendo formas distintas de combate às leis que vigoravam na época. Desde o Movimento dos Direitos Civis do Reverendo Martin Luther King até os Panteras Negras. Tal ebulição social acabou refletindo nos quadrinhos.

Em setembro de 1954, a Marvel (na época conhecida como Atlas) lança Waku, Prince de Bantu. Trata-se do personagem herdeiro de uma tribo de etnia bantu e que é obrigado pelo seu pai, que estava no leito de morte, a fazer um juramento de não violência. Waku teve pouquíssimas histórias publicadas.

A ascensão da Marvel Comics, capitaneada por Stan Lee e por um rol de personagens que, pela criatividade com que foram elaborados revolucionaram o conceito dos super-heróis.
Personagens como o soldado Gabe Jones, da revista de guerra Sgt Fury and his Howling Commandos (Sargento Fury e o Comando Selvagem) foram fundamentais.

Em 1963 a Marvel apresentou o soldado Gabriel “Gabe” Jones no comic war Sgt Fury and his Howling Commandos. Gabe era um músico de jazz que participava de um regimento do exército americano na Segunda Guerra. Em julho de 1966, Stan Lee juntamente com Jack Kirby introduziu nas páginas de Fantastic Four#52 (Quarteto Fantástico) o primeiro super-heróis da historia dos comics: O Pantera Negra. A introdução do Pantera Negra teve impacto junto aos leitores, Várias cartas chegara à redação da revista elogiando a iniciativa. Em 1977 o Pantera ganhou um título próprio, mas que durou apenas 15 edições. Mas o afro americano que salvou vidas dos mais fracos e vestiu o uniforme foi o Falcão. Ele estreou na revista do Capitão América n.117, da Marvel (1969). O sucesso do personagem levou o nome da revista Captain America ser substituído por Captain America And the Falcon. A união dos dois personagens expõe a intenção da editora em promover a integração racial na sociedade estadunidense.

Em 1972, um personagem quebraria a regra dos poderes ou habilidades fora do comum que deveria ser utilizado na missão de proteger a humanidade de qualquer ameaça. Luke Cage é codinome do personagens Carl Lucas, um afro americano criado nas ruas do Harlem que foi preso por um crime que não cometera. Luke Cage, o herói de aluguel vivia em uma comunidade que temia mais o tráfico de drogas do que o “super vilão da semana”.

Criado em 1975 a super heroína Tempestade era uma nova personagem para a revista X Men. Tempestade é descendente de uma antiga linha de sacerdotisas africanas. Todas têm cabelos brancos, olhos azuis e potencial para usar magia. A mãe dela, N'Dare, era a princesa de uma tribo no Quênia. Ela casou-se com o fotojornalista americano David Munroe e mudou-se com ele para Manhattan onde Ororo nasceu.

Quando Ororo fez seis meses, ela e os pais foram para o Cairo, Egito. Cinco anos depois, a casa deles foi destruída por uma bomba. Os pais de Ororo foram mortos, mas ela sobreviveu, enterrada debaixo de pedregulhos e escombros próximo ao corpo da mãe dela. Este trauma deixou Ororo com claustrofobia severa que ainda a aflige hoje.

Ororo permaneceu com as tribos durante anos até que o Professor Charles Xavier a recrutou para a nova formação dos X-Men. Ela recebeu o codinome de Tempestade por causa do poder de controlar o tempo.

Em 1977, a DC Comics lança a revista Black Lightning, com a estreia do herói Raio Negro. Raio Negro (Black Lightning no original) é um super-herói negro com poderes elétricos criado po Tony Isabella e Trevor Von Eden.

O cineasta americano Spike Lee, diretor de Faça a coisa certa e Malcolm X, assinou em 1993 um contrato com a editora Dark House para lançar uma série de revistas em quadrinhos chamada Comics from Spikers. Cinque Lee, irmão de Spike em parceria com Sean Fagam escreveu a história Floaters. A revista Floaters foi desenhada por Lance Tooks e conta a história de uma cidade do futuro, dominada por traficantes de uma poderosa droga chamada cloud seven, que quando injetada faz os viciados flutuarem. Além de Comic from Spike, a Dark House lançou em 1994 a revista Colors in Black com histórias reais sobre grandes personagens negros.
---------------------------------------------------------------------- 
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Boulevard 161 no Itaigara e no Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública) e na Midialouca (Rua das Laranjeiras,28, Pelourinho. Tel: 3321-1596). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929)

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home