28 agosto 2014

Vinte ícones do século XX (4)



PELÉ (1940-    ) – Considerado o maior jogador da história do futebol e recebeu o título de Atleta do
Século 20, em 15 de maio de 1981, a partir de uma eleição promovida pelo jornal francês "L'Equipe".
Descoberto aos 11 anos foi convidado a jogar no Bauru Atlético Clube. Começou a carreira de Pelé no Santos F.C. Aos 16 anos, participou de um torneio de quatro equipes européias e brasileiras. Sua consagração veio na Copa do Mundo da Suécia, em 1958, quando o Brasil foi pela primeira vez campeão mundial. Pelé marcou seis gols. Na Copa do Chile, em 1962, Pelé sofreu uma distensão muscular no jogo contra a Tchecoslováquia e deu adeus ao torneio, deixando Garrincha brilhar. Participou ainda da Copa de 1966, na Inglaterra, e da Copa de 1970 no México, quando a seleção trouxe para o Brasil a taça Jules Rimet. Apelidado de "O Rei" pela imprensa francesa, em 1961, criou e aperfeiçoou jogadas que encantaram o mundo: o chute a gol do meio do campo, a tabela nas pernas do adversário, o drible sem bola no goleiro, a paradinha na cobrança do pênalti. O milésimo gol foi marcado em 19 de novembro de 1969, em sua 909º partida, Vasco da Gama 1 x 2 Santos. Ao ser cercado pelos repórteres, Pelé disse: "Pensem no Natal. Pensem nas criancinhas". Pelé vestiu uma camisa de número 1000 e deu a volta olímpica no Maracanã.

RUDOLF NUREYEV (1938-1983) – Bailarino russo de fama mundial, considerado um dos maiores mitos do balé clássico e o maior desde Vaslav Nijinsky, seu lendário conterrâneo que dominou os palcos do balé no início do século. Foi um dos mais importantes bailarinos do século XX, destacando-se por ter reformulado o papel da figura masculina na dança, até então limitada ao suporte das bailarinas em palco. Nascido na União Soviética, Rudolf Khametovich Nureyev viria a evadir-se para o Ocidente, onde alcançou uma carreira fulgurante na dança. Dançou nos palcos mais importantes do mundo e com grandes bailarinas, como Margot Fonteyn, Eva Evdokimova e Veronica Tennant, e foi convidado para ser Diretor do Ballet da Ópera de Paris, em 1983, continuando também a dançar.

SOPPHIA LOREN (1934 - ) – Diva do cinema italiano, ganhou o Oscar em 1962 pla atuação no
filme Duas Mulheres. Trabalhou com grandes diretores como Vittorio De Sica, Federico Fellini, Ettore Scola, Robert Altman, Lina Wertmüller, entre outros. Aos 14 anos, participou de um concurso de beleza ficando entre as finalistas. Fez algumas aulas de interpretação e, no começo da década de 50, figurou em pequenos papéis. A primeira oportunidade em um bom papel surgiu durante o filme Quo Vadis (1951), de Mervyn LeRoy, ainda utilizando o pseudônimo de Sofia Lazzaro. Em 1953, durante a filmagem de A Sereia do Mar Vermelho, foi descoberta pelo produtor de cinema Carlo Ponti, ocasião em que adotou definitivamente o nome artístico de Sophia Loren. Dona de uma beleza invejável, não demorou muito para cair nas graças de Hollywood. Após participar de cerca de 30 filmes italianos, estreou no cinema americano em Orgulho e Paixão (1957), ao lado de Cary Grant e Frank Sinatra. Na sequência fez mais alguns filmes de sucesso com grandes nomes do cinema como A Chave (1958), com William Holden e Trevor Howard, A Orquídea Negra (1958), com Anthony Quinn, Tentação Morena (1958), com Gary Grant, e Começou em Nápoles (1960), com Clark Gable e Vittorio De Sica. Foi considerada uma das atrizes mais populares de todo o planeta e tida como uma das mulheres mais belas do mundo. Marlon Brando, Marcello Mastroianni e Paul Newman foram alguns de seus pares nas telas.
 
TOM OF FINLAND (1920-1991) – Desenhista que acabou por definir uma estética pornô gay e serve de inspiração para muitos artistas, fotógrafos e modelos. Ícone máximo da arte homoerótica, Tom influenciou gerações e seu trabalho refletiu em diversos segmentos da sociedade, entre eles (e principalmente) a moda. Se antes suas ilustrações de homens fortes e viris, vestidos com roupas de couro ou jeans, eram consideradas "pornográficas", hoje elas têm um papel de destaque na história da arte contemporânea Ao longo de quatro décadas de trabalho, Tom produziu mais de 3500 ilustrações homoeróticas. Seus homens musculosos, de pênis avantajados, ganharam o mundo e influenciam a cultura gay até hoje. O finlandês foi considerado o criador mais influente de imagens pornográficas gays. O filme sobre sua vida está em fase de pré-produção e deve ser lançado em 2015.

CARMEN MIRANDA (1909-1955) - Primeira artista multimídia do Brasil. Talentosa, não só
cantava, dançava e atuava, mas sabia, intuitivamente, transitar com desenvoltura pelo que viria a se tornar a indústria cultural. Transformou-se num ícone das massas, ao mesmo tempo criando e sendo criada por esse novo mundo do entretenimento que se desenhava. Pioneira, foi a maior estrela do disco, do rádio, do cinema, dos teatros, da mídia, e dos cassinos brasileiros. Única no movimento das mãos e quadris e no revirar dos olhos verdes, estilizou a baiana, com badulaques, a boca pintada de vermelho, sempre sorridente e tão imitada, amada e parodiada em todos os cantos do mundo. Mais tarde, viraria boneca de papel e desenho animado da Disney. Eternizou os mais importantes compositores de seu tempo da música brasileira, de Lamartine Babo a Ary Barroso, de Dorival Caymmi a Pixinguinha.

HUMOR GRÁFICO NA BAHIA
Uma exposição com as obras dos precursores do grafismo baiano (cartum, caricatura, charge e quadrinhos) até os dias atuais é de grande necessidade para o grande público (jovem e adulto).

É necessário apresentar ao público a história desses artistas que continuam invisíveis e são importantes no registro dos acontecimentos históricos e sociais.

Por esse motivo, vamos apresentar em 2015 uma grande exposição de humor gráfico na Bahia e queremos a participação de todos os artistas.
Paraguassu, K-Lunga, Tischenko, Sinézio Alves, Fernando Diniz, Theo, Lage, Setubal, Nildão, Ruy Carvalho, Cedraz, Cau Gomez, Bruno Aziz, Valterio, Flavio Luis, Luis Augusto, Valmar Oliveira, Andre Leal, Angelo Roberto, Eduardo Barbosa, Gentil, Jorge Silva, Carlos Ferraz, Helson Ramos, Hector Salas, Tulio Carapiá, Sidney Falcão são alguns dos artistas cujas obras estarão na mostra.
Participe, colabore. Contato: gutecruz@bol.com.br
-----------------------------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública), na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596) e Canabrava (Rua João de Deus, 22, Pelourinho). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home