02 abril 2014

Homenagens - 60 anos (06)



Interrompemos nossa Cronologia das Histórias em Quadrinhos por alguns dias para publicar essas homenagens dos amigos

60 NÃO TEM NOVES FORA

“O jornalista Gutemberg Cruz é homem culto, capaz de destinar o salário do mês para adquirir livros e outros produtos da indústria cultural. Deveria ser tratado como exceção, assegurando-lhe certos cuidados apropriados a quem foge da regra. Quantos de nós sabe sequer a décima parte do que ele conhece sobre história-em-quadrinhos? Nessa área, justo seria que alguma das melhores universidades concedesse-lhe o Título de Notório Saber. A UFBA, por exemplo, onde ele se bacharelou em Comunicação, não faria favor se o distinguisse.


“O conheço há muitos anos e acompanho seu trabalho desde quando editava o segundo caderno do nascente Correio da Bahia na década de 1980. Em seguida, transferiu sua experiência e ousadia para o Bahia Hoje. Há, pelo menos, três ou quatro focos permanentes no arguto olhar de Gutemberg Cruz: os quadrinhos, o cinema, a Bahia e o erotismo. Ele está na web desde 2006 com o seu http://blogdogutemberg.blogspot.com.br/, onde se pode constatar que a multiplicidade de assuntos de que ele é capaz de tratar com a afeição e o respeito é ainda maior do que a quantidade que anunciei.

“Movido pela admiração que tenho por ele, sempre que posso o presenteio com algum livro, suplemento, revista ou recorte de jornal a respeito de história-em-quadrinhos. Mais do que um gesto de afeição, faço isso pelo respeito que tenho devido à referência que ele é como o nosso mais persistente estudioso sobre a matéria. Esse respeito move-me também aos eventuais lançamentos de livro que ele publica.

“O visito sempre que o professor doutor Sérgio Mattos almoça no Centro Administrativo da Bahia (CAB), pois elegemos o restaurante da União das Prefeituras da Bahia (UPB), instituição para a qual Gutemberg Cruz dedica muito da energia dele e de sua capacidade de tomar inciativas que valorizem o trabalho dos administradores das municipalidades baianas. Nesses encontros esporádicos, a conversa é animada. Esquadrinha a atualidade e o passado, ocasião em que o jornalista nos oferta o melhor do seu tirocínio e ironia.

“O título que escolhi para esta pequena crônica estampa a certeza de que nestes 60 anos de vida que ora nosso amigo celebra não houve ocasião em que ele brincou com ou perdeu tempo. Cada minuto foi utilizado para a recolha, a seleção, a reflexão de informações dos muitos universos de conhecimento que ele pretende abarcar.

“Gutemberg Cruz é o único contemporâneo que conheço que sai de férias com o projeto exclusivo de ler, ler e ler. E, distinto do que se poderia imaginar, ele não se encastela na soberba. Ao contrário, cada dia mais ele cultua a simplicidade e o compartilhamento, assim como aguça o olhar de misericórdia com que generosamente banha a todos nós”. (Luis Guilherme Pontes Tavares. Jornalista, produtor editorial e professor).


Um breve depoimento


“Da história em quadrinhos ao experimentalismo da linguagem na década de 1970, um sonhador, Gutemberg Cruz é uma referência no jornalismo cultural da Bahia. “Na Era dos Quadrinhos” editado pelo jornalista foi um marco da imprensa alternativa. Sem vaidade, na sua humildade franciscana, mas atento às manifestações contemporâneas, acima de tudo dedicado a profissão, sua paixão primeira sempre foi a história em quadrinhos, divulgador, crítico, editor, incentivador. Tinha uma virtude, buscava a novidade, abrir espaço e transgredir numa Bahia ainda provinciana. Inquietação que levou Gutemberg a se aproximar de um pioneiro da crítica das histórias em quadrinho no Brasil e um
dos criadores do emblemático poema/processo, Moacy Cirne.

“Quando esteve à frente do “caderno de cultura” do jornal Correio da Bahia, teve uma atuação decisiva e democrática na divulgação e na crítica das artes na Bahia, contribuindo para o fortalecimento do circuito cultural e a credibilidade do jornalismo baiano. Confesso que tive o privilégio, naquele momento difícil para a arte contemporânea no circuito cultural de Salvador, contar com o apoio do jornalista e editor para divulgar meus trabalhos e manifestar as minhas ideias. Muitíssimo obrigado Gutemberg”. (Almandrade, artista plástico, poeta e arquiteto)

A cruz dos 60

“Gutemberg Cruz é uma figura singular. Culto, generoso, de fácil comunicação e sempre aberto a desafios. Jornalista ético, informado, de conduta impecável. Nunca apelou para o marketing do escândalo. A notícia para ele era a verdade e suas consequências. Pesquisador, com notável capacidade de desvendar minúcias, que contribuem para o acervo nacional do conhecimento.

“Foi editor do então Correio da Bahia, fundado no final dos anos 70. Trabalhou no jornal mais de
uma década, sempre com uma postura conciliadora e libertária. Em 1979 Gutemberg nos convidou para escrever sobre artes plásticas, que continuamos até os dias atuais. Formou uma equipe de especialistas na área cultural dando a todos a mais ampla forma de se expressar, inclusive não mudava os títulos da matéria que são sempre direcionadores. Compreendia que cada texto crítico, tinha suas especificidades e a alma do autor. As segundas-feiras trazia um resumo dos acontecimentos culturais da cidade e nas sextas-feiras o que de mais importante ia acontecer no final de semana. Direcionava o grande público ao lazer, ao prazer e as artes em geral. Sua paixão por histórias em quadrinhos é conhecida. Memória prodigiosa cuida de arquivar tudo que é de interesse cultural.

“Gutemberg Cruz ao completar 60 anos, já tem um legado respeitável. Uma imagem carismática e comovente”. (César Romero. Abril – 2014, psiquiatra, artista visual, crítico de arte – ABCA – AICA, membro da Diretoria da ABCA –     Comissão de Credenciais)

Amigo de todos

“Gutemberg Cruz. Difícil definir essa forte personalidade, mesmo assim vou tentar encontrar
adjetivos para falar sobre ele. Desde quando conheci o admirei, por ser uma pessoa, que compartilha seus conhecimentos, com quem bate à sua porta, foi o meu caso, daí em diante comecei a observá-lo e não é diferente com os demais. Amigo de todos, excelente profissional da Comunicação Social (Jornalista), crítico, apaixonado pela cultura regional, história de quadrinhos é uma de suas  características.

“Tive o prazer de ser seu colega, no curso de Pós-graduação em Jornalismo Cultural e ‘ele’ era a pessoa chave, nas tardes de sábados, era o menestrel da turma, sem sua presença o turnão de aula não teria sabor, as críticas do cotidiano fazia com que ele levantasse o astral de todos nós. Resumindo o jornalista, escritor, poeta e contista Gutemberg Cruz é um exemplo de amigo, não tenho dúvida, cada história que ele conta em versos, prosas, ou texto corrido vai marcar a imortalidade de um grande amigo das sagradas letras que a Bahia possui. Gut, para os íntimos, meu abraço”.  (Itamar Ribeiro, jornalista, radialista e professor)

-----------------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública), na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596) e Canabrava (Rua João de Deus, 22, Pelourinho). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home