08 abril 2014

Cronologia das Histórias em Quadrinhos (52)



1970 (BRASIL)O desenhista Michele Iaccoca cria EVA na revista Claudia. Aprincipalcaracterística do humor de Michele é a sua ligação com a atualidade. No paraíso perdido de Michele, Adão e Eva nasceram sem olhos. a serpente enxerga. Conformista, acomodado, Adão aceita todos os esquemas da vida e da sociedade protegida por uma suave mistura de cinismo com ingenuidade. Desajeitadamente libertária, Eva luta inutilmente contra a passividade calculada de um homem e não consegue perceber que a maior parte das opressões está no angustiante vazio branco que envolve em cada folha.


1971 (EUA)Frank Frazetta cria VAMPIRELLA. Ela é única, má, arrogante, mas tem um corpo maravilhoso, e sexy. Originalmente, ela é uma vampira extraterrestre de um planeta tendo dois sóis chamado Drakulon (ou Draculon).


1971 (BRASIL)Wera Rakowitsch, aluna de Arquitetura da UnB (Brasília) cria ZAP, um ser feminino, dócil e ao mesmo tempo crítico. O tipo da personagem é um pé. O fio de cabelo com o lacinho foi criado para fazer parte da caracterização da personagem. Muda de posição de acordo com os momentos de sua vida. Os dedos do pé, assim como o próprio pé, lhe servem de apoio e se movimentam em determinadas situações.

1971 (BRASIL)Surge a revista GRILO.  Mais do que uma revista em quadrinhos de vanguarda, a “Grilo” representava um ponto de resistência ao então vigente regime militar e a sua censura e truculência. Durou 48 números lançados entre 1971 e 1973. O pesquisador Gonçalo Junior lança em 2013 um livro intitulado “A Morte do Grilo”, na qual recupera a história da revista pioneira que lançou diversos autores americanos do underground e obras europeias voltadas ao público adulto, até então inéditas aqui no Brasil.

1971 (EUA) - Jack Kirby, que no ano anterior mudara-se da Marvel Comics para a DC Comics, inicia NOVOS DEUSES. Com efeito, Kirby se tornaria o primeiro desenhista a ganhartratamento especialde uma grande editora, e abriu caminho para que os artistas passassem a ter voz ativa dentro das editoras.

1971 (BRASIL)A revista Mônica recebe o troféu Gran Guinigi e seu criador, Maurício de Sousa, a láurea máxima do Congresso Internacional de HQ, de Lucca, o prêmio Yellow Kid, considerado o Oscar da HQ mundial.

1971 (BRASIL)As tiras dos FRADINS publicadas no Pasquim por Henfil foram reunidas e lançadas em um álbum.

1971 (ESPANHA)Antonio Hernández Palacios ilustra El Cid.

1971 (BRASIL)A Fermata do Brasil lança a coleção PARTITURAS INFANTIL DA TURMA DA MÔNICA, resultado da parceria do Odmar Amaral Gurgel (o maestro Gaó) e o artista Maurício de Sousa. Cada personagem tem uma música tema: a polca Mônica, o galope Bidu, o blues Tina entre outros.

1971 (EUA) - A Marvel polemiza, quando publica uma história do Homem Aranha (nas revistas Amazing Spider-Man nos. 96 a 98) onde um dos personagens aparece consumindo drogas.

1971 (BRASIL)Emanuel Amaral lança no dia 15 de agosto no jornal O Poti as aventuras e desventuras do SUPER CUPIM e seu companheiro PULGUINHA. Era um quadrinho meta-linguistico.

1971 (BRASIL)Usando como exemplo as criações de Ziraldo e Maurício de Sousa, Moacy Cirne analisa as particularidades das HQs brasileiras no livro A LINGUAGEM DOS QUADRINHOS (Editora Vozes).

1971 (EUA)É lançado o desenho animado de longa duração A BOY NAMED CHARLIE BROWN (Charlie e Snoopy), dirigido por Bill Melendez e musicado por Rod Mckuen.

1971 (ITÁLIA)O arquiteto Guido Crepax cria ANITA.

1971 (CHILE) É publicado o polêmico livro PARA LER O PATO DONALD, de Ariel Dorfman e Armand Mattelart, que relaciona os quadrinhos Disney ao imperialismo norte-americano (seus autores tinham orientação socialista). Mais tarde, Dorfman e Mattelart admitem terem exagerado nas críticas feitas no livro.


-----------------------------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública), na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596) e Canabrava (Rua João de Deus, 22, Pelourinho). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home