28 janeiro 2013

Viagem musical pela Bahia (2)

O cantor e compositor Moraes Moreira canta em alto e bom som “eu gosto de ser baiano/ai, ai Bahia/ando perguntando/quem é que não poderia...”. E das músicas que compôs, ele informa que “Chame Gente” é a que melhor retrata o Estado, fala da mistura de raça e da forma que o baiano encara a vida, apesar das dificuldades:

“Ah! imagina só que loucura/essa mistura/alegria, alegria é o estado que chamamos Bahia/de todos os santos, encontros e axé/sagrado e profano/o baiano é Carnaval//No corredor da história/Vitória, Lapinha, Caminho de Areia/pelas ruas, pelas veias, escorre/o sangue e o vinho, pelo mangue, Pelourinho/a pé ou de caminhão não pode faltar a fé, o Carnaval vai passar/da Sé ao Campo Grande/somos os Filhos de Gandhy,/de Dodô e Osmar”.

Um dos locais mais conhecidos de Salvador e famoso no Carnaval das décadas de 70 e 80 foi cantado pelo santo amarense Caetano Veloso: “A praça Castro Alves é do povo/como o céu é do avião/um frevo novo/eu quero um frevo novo/todo mundo na praça/muita gente sem graça no salão”.

Outro local popular, sede do bloco afro Ilê Ayê, foi saudado pelo compositor Gerônimo: “Eu sou negão/meu coração é Liberdade/sou do Curuzu, Ilê”. Já Gilberto Gil cantou o misticismo do povo baiano em “Eu Vim da Bahia”: “Onde a gente não tem pra comer, mas de fome não morre/porque a Bahia tem mãe Yemanjá/do outro lado o Senhor do Bonfim/que ajuda o baiano a viver”. E até Ivete Sangalo concluiu: “Falar o quê/quando pisa nessa terra/alegria toma conta de você”. E assim, dos antigos aos atuais compositores, a Bahia continua na boca do povo.

Um dos poucos que ousaram cantar o outro lado da Bahia foi o poeta Gregório de Mattos (1636-1696) que compôs o soneto Triste Bahia. O poema adquiriu popularidade quando foi gravado por Caetano Veloso em 1972: “Triste Bahia! Oh quão dessemelhante/estás e estou do nosso antigo Estado/pobre de ti vejo a ti/tu a me empenhado...”, dizia os primeiros versos do poeta que ficou conhecido como Boca do Inferno.
----------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Boulevard 161 no Itaigara e no Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública) e na Midialouca (Rua das Laranjeiras,28, Pelourinho. Tel: 3321-1596). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929)

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home