05 junho 2012

Quadrinhos da vida real (07)


Joe Sacco - 2


Joe Sacco sempre foi apaixonado pela arte sequencial. Quando era criança, publicou uma série de humor com um amigo, mas não pensou que pudesse um dia viver disso. Ele se mudou para Los Angeles em 1986 e se tornou um dos editores da Fantagraphics (a mesma empresa que publicou os primeiros números de Usagi Yojimbo). De 1988 a 1992, Joe foi viajar pelo mundo. Voltou a Malta, sua terra natal, morou em Berlim fazendo panfletos e pôsteres para bandas locais e até acompanhou um grupo de Rock em uma excursão. No fim de 1991, Sacco foi para Israel, onde recolheu o material para escrever Palestina: uma nação ocupada. O livro é reconhecido como a grande obra documentária feita em quadrinhos desde o premiadíssimo Maus, de Art Spiegelman. Palestina ganhou o troféu Harvey Awards como melhor nova série e recolheu elogios de várias publicações fora da área de quadrinhos e, é claro, dos que trabalham no meio. "Sacco relata a vida nos territórios ocupados com sensibilidade, perspicácia e um faro apurado para as ambiguidades morais. Altamente recomendado", disse Alan Moore, escritor de Watchmen.

Após Palestina, Sacco fez Natal com Karadzic (uma história curta publicada no Brasil na coletânea Comic Book: O novo quadrinho norte-americano) e Soba, contando suas viagens à Bósnia em 1995 e 1996. Em junho de 2000 foi lançada Safe Area: Gorazde - The War in Eastern Boznia 1992-1995, outra aclamada obra do jornalista. Em 2006 é lançada Derrotista, mistura de sátira autobiográfica e diário de viagem, esta coletânea traz histórias inéditas em livro. Histórias publicadas na revista Yahoo, que Sacco produziu e editou entre 1988 e 1992. Entre elas, boa parte de suas tiras de humor e de seu material autobiográfico, escancarando sua insegurança amorosa, sua época de estudante universitário, sua vida como bibliotecário e sua viagem pela Europa acompanhando uma banda de rock. Com apresentações e comentários do próprio autor, Derrotista reúne também os primeiros trabalhos de Joe Sacco no estilo que o consagrou – trabalhos sobre a guerra e seu efeito sobre as pessoas. Além da impressionante história sobre os bombardeios durante a Segunda Guerra em Malta, baseada nos relatos de sua mãe, destacam-se uma crônica da vida da população civil sob ataque aéreo e uma sarcástica história sobre o circo da mídia durante a cobertura da Guerra do Golfo.

Em 2009, ele retorna à temática do Oriente Médio com "Footnotes from Gaza" (Notas Sobre Gaza). A HQ mistura representações das entrevistas feitas pelo jornalista-narrador com retratos das memórias de seus interlocutores. Sacco retoma eventos ocorridos em 1956 nas cidades de Rafah e Khan Younis, quando centenas de refugiados palestinos foram mortos pelas forças israelenses. Diante da magnitude do conflito no Oriente Médio, os dois episódios seriam apenas "notas de rodapé", como sugere o título.

Em Palestina, na Faixa de Gaza, o autor mostra como vive, às margens da história, a população expulsa das próprias terras pelos israelense. É seu relato pessoal de viagem pela Faixa de Gaza, coletando entrevistas de judeus e palestinos. Mesmo tristes e sentindo-se esquecidos do mundo, ele evidencia um povo que tenta recuperar um espaço digno para a vida, resgatando a sua cultura e memória.

Um breve relato da ONU (13/11/1956) dava conta de “rumores de atrocidades acontecidas em Gaza”. Joe saiu a campo para investigar e, ao longo de sete anos, entrevistou mais de 100 pessoas, testemunhou o andamento do conflito na região e descobriu que, na história da guerra entre palestinos e israelenses, os dois incidentes estão entre os maiores com morte de civis. Sacco reconstituiu o massacre atualizando o leitor sobre o que realmente acontece em Gaza, a região mais superpopulosa do planeta. O local vive sob o embargo americano e europeu e, por isso, é obrigado a comercializar com o mundo através de túneis que furam a fronteira com o Egito.

Outros trabalhos que seguiram os passos do jornalista-cartunista americano são Persépoli, de Marjane Strape, É Tudo mais ou Menos Verdade, de Allan Sieber. Marjane Satrape, uma iraniana que vive na França, é uma das poucas mulheres que são conhecidas por trabalhos no meio de quadrinhos e apresentar um modo diferente de jornalismo visual.

---------------------------------------------


Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Boulevard 161 no Itaigara e no Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública) e na Midialouca (Rua das Laranjeiras,28, Pelourinho. Tel: 3321-1596). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929)

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home