09 agosto 2016

A fada dos livros: Denise Tavares



Denise Tavares, a fada dos livros, obra da Coleção Gente da Bahia lançada recentemente por Aurora
Vasconcelos e Fabiano Oliveira Viana pela Assembleia Legislativa do Estado da Bahia é puro deleite. “Talvez, para os jovens de hoje, a criação de uma biblioteca infantil por uma professora, na década de 1950, e sua luta para conservá-la, não seja assunto que valha um livro. Porém, se estudarmos o papel da mulher nos anos de 1950 e 1960, sem dúvida passaremos a entender e admirar Denise Tavares e a sua fibra, não se submetendo aos papeis tradicionais subalternos femininos e defendendo sua ideia de educação com os homens de igual para igual, o que fez com que ganhasse muitos admiradores, grandes amigos e desafetos de menor estatura”, escreveu Aurora.

“A casinha branca de janelas azuis foi um local icônico dos anos da infância. Ali despertei a paixão pelos livros e o misterioso amor pela palavra”, escreveu o escritor e editor Délio Pinheiro no prefácio do livro. “A professora Denise – como todos a chamavam com respeito e admiração – criou e dirigiu por 24 anos a única biblioteca pública para crianças na Bahia. Ofereceu às crianças da classe média e pobre mais do que ler. Estimulou a criatividade e a imaginação”.

Numa época onde não existiam bibliotecas públicas, visitar pela primeira vez a Monteiro Lobato no Jardim de Nazaré foi, para mim, como um sonho. Um paraíso cheio de livros e personagens. Nunca vou esquecer. Depois de muitas frequências e leituras de livros e revistas, conheci Denise e juntos defendemos as histórias em quadrinhos. Na época eram poucas pessoas que defendiam os gibis, tidos como sub literatura. Fundei um clube para leitura e análise dos quadrinhos no bairro do Pero Vaz tendo o professor Adroaldo Ribeiro Costa como patrono e, em seguida, o apoio de Denise. Todos os anos ministrei palestras e cursos sobre a importância dos quadrinhos para o habito de leitura nessa biblioteca. E isso consolidou, e muito, esse trabalho de incentivo a leitura.

Voltando à obra, a Biblioteca Infantil Monteiro Lobato foi a primeira instituição púbica do Nordeste dedicada às crianças e a segunda do Brasil. Fundada em 18 de abril de 1950, foi resultado da luta incansável da professora Denise Tavares, que a dirigiu durante 24 anos, enfrentando o descaso das autoridades e a hostilidade dele de rivais e desafetos, insatisfeitos com o que consideravam um desperdício: uma biblioteca inteira voltada para crianças.


A BIML não era apenas um lugar de leituras. Era um centro de atividades didáticas onde a criança conhecia outros mundos cheios de imaginação, aprendendo a se expressar através da escrita e de outras artes.

Denise foi uma mulher à frente de seu tempo, sofrendo com a incompreensão e a intolerância de alguns, sem, contudo, abrir mão dos seus ideais e de ter o controle de sua própria vida.

Dividido em seis capítulos, a obra começa coma fada dos livros onde revela as lembranças da família, dos amigos e da luta em abrir uma biblioteca. O sonho se torna realidade no da do aniversário de nascimento do escritor Monteio Lobato: 18 de abril de 1950. O segundo capítulo, Lobato e a vocação anunciada aborda o encontro de Denise com Monteiro Lobato em 1930 através do livro Fabulas. O encontro com o ídolo aconteceu em 1947 quando o escritor veio a Salvador para assistir à opereta. A menina do narizinho arrebitado. Um chalé mágico é o terceiro capítulo sobre um mutirão para realizar o sonho e o estímulo aos jovens escritores como o artista plástico Ângelo Roberto, Joselito
Sampaio, Virgilio Maciel Costa entre outros, além da admiração, respeito e a influência de Denise sobre os jovens leitores como o engenheiro e escritor Adinoel Motta Maia, Delio Pinheiro, Anete Brito Ivo, etc.

O talento para a política e para o marketing está no quarto capítulo sobre sua participação na elaboração da Lei Orgânica do Estado e do Estatuto do Magistério, criação de bibliotecas de bairro, cursos e recomendações relativas aos direitos da criança à educação e em defesa dos profissionais do magistério. No quinto capítulo, as ideias de Denise junto a Anísio Teixeira e no final, Legado e último Combate onde mostra a importância da biblioteca e de sua luta contra o câncer. Uma preciosidade esta obra sobre Denise para aqueles que apreciam o saudável hábito de leitura.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home