08 março 2013

Floriano Teixeira, senhor de um desenho de traço refinado (1)

No dia 08 de março comemora-se os 90 anos de nascimento de Floriano Teixeira. Pertencente a uma geração de mestres da pintura brasileira, ele foi senhor de um traço inconfundível, seguro, gracioso e que é suporte visível de todas as suas artes múltiplas – a gravura, a escultura e sobretudo a pintura. Um desenhista raro, detalhista ao extremo. Leveza e suavidade é um dos grandes trunfos de sua arte.

Pintor, gravador, desenhista, escultor. Floriano de Araújo Teixeira nasceu no dia 08 de março de 1923 no município de Cajapió, na baixada maranhense. Mais tarde a sua numerosa família transfere-se para São Luís, onde passa a frequentar o grupo Escolar Sotéro dos Reis, depois O Liceu Maranhense. Em 1935 recebe as primeiras aulas de desenho do professor Rubens Damasceno. Daquele ano datam as suas primeiras aquarelas.

Executa desenhos para histórias em quadrinhos e caricaturas. Em 1940, junta-se a um grupo de pintores liderados por J. Figueiredo, que o anima a tentar a pintura de cavalete. Estuda e documenta tipos populares e cenas das docas de São Luís. Através de livros e revistas de arte, trava conhecimento com El Greco que o impressiona vivamente, especialmente pela deformação alongada das figuras.

Em 1949 toma contato com as técnicas da monotipia e da xilogravura. Em 1950 muda-se para o Ceará onde toma parte ativa no grupo local de artistas modernos. Com os artistas locais funda o grupo dos independentes. Trabalha numa repartição de defesa animal. Interessa-se pela anatomia animal. Apaixonado pela composição e pela cor, busca no abstracionismo o caminha para expressar sua mensagem, faz estamparia, silk cream.
 
Em 1962 a Universidade Federal do Ceará organiza o seu Museu de Arte e Floriano é convidado pelo reitor Antônio Martins Filho para dirigi-lo provisoriamente. Um ano após retorna com intensidade à pintura. Seus filhos estão presentes como tema principal dessa fase. Logo a seguir, Floriano é apresentado ao público de Salvador, expondo pinturas e desenhos no MAMB. Torna-se amigo de Jorge Amado e a convite deste muda-se para Salvador, onde reside desde 1965, no bairro do Rio Vermelho com sua mulher Alice e seus sete filhos. Paralelamente ao desenho e à pintura, Floriano Teixeira desenvolve atividades na área da ilustração de humor. Entre outros, ilustram as capas dos 12 volumes da coleção das Obras Completas de Graciliano Ramos e são de sua autoria os desenhos para Dona Flor, A Morte e Morte de Quincas Berro D ´Água, Milagre dos Pássaros e O Menino Grapiúna, de Jorge Amado.

Pertencente a uma geração de mestres da pintura brasileira, Floriano é senhor de um desenho de traço inconfundível, seguro, gracioso e que é suporte visível de todas as suas artes múltiplas – a gravura, a escultura e sobretudo a pintura. Pintor excepcional, com um colorido que nos enche os olhos e uma magia de temas extraordinários: são crianças, cavalos, caboclas sensuais, pássaros e flores. Enfim uma explosão de cores que nos atinge todos os sentidos.

“Floriano é um pintor de figura”, escreveu Myriam Fraga em 1984 para um catálogo da exposição do artista. “Andarilho contumaz, na vida e na obra, passeou por várias escolas, percorreu caminhos que foram do cubismo aos quadrinhos. Ilustrações, caricatura, muralismo, tudo passou pelo cadinho de seu talento sempre aberto a novos experimentos”

“Esse índio do Maranhão, esse baiano do Rio Vermelho, é um ser extremamente civilizado, veio da floresta, mas por dá a impressão de ter chegado da Renascença”, escreveu Jorge Amado no livro Bahia de Todos os Santos. “A realidade de Floriano é a mesma que se encontra em Cem Anos de Solidão de Garcia Márquez, onde o narrador se esforça para contar tudo, admitindo, porém que, como não pode caber tudo dentro das páginas e capa do livro, também a moldura de um quadro não é suficiente para conter o mundo do pintor”, escreveu o crítico John P. Dwyer.
------------------------------------------------------

Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública) e na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929)

1 Comentários:

At 9:32 AM, Blogger Thiago said...

ola!!! gostaria de saber sobre as gravuras de floriano teixeira para o livro Alexandre e outros herois de Graciliano Ramos..um abraco

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home