31 outubro 2007

Bioética

O mundo vive uma grande crise – ambiental, ético, estrutural... Não existe área da atividade humana que não esteja passando por grandes transformações. A diferença do ontem para o hoje é que em outros momentos da história havia sistemas de pensamento (Iluminismo por exemplo). Agora tudo está se dando no vazio do pensamento. O que se atribui tal vazio? Segundo os filósofos, se explicaria pela autonomia da tecnociência. Os avanços tecnológicos, cada vez mais velozes e potentes, não têm sólidas bases éticas ou humanistas. Para muitos, o homem não domina a técnica, mas está dominado por ela. Há uma separação entre ciência e pensamento. Os intelectuais estão estudando essa separação e as possibilidades de conexão, traduzidas em termos como bioética.

Sabemos que desde o século 17 que a ciência e religião estão em permanente guerra. Naquela época Galileu Galilei e a Inquisição entraram em crise e o cientista foi forçado a abjurar sua convicção de que o Sol e não a Terra era o centro do cosmo. Enquanto a ciência tenta descrever o mundo natural, baseado em experimentos e observações, a religião adota uma realidade sobrenatural coexistente, capaz de interferir com a realidade natural. As tecnologias são frutos desse questionamento, desde a revolução digital até os antibióticos. As duas são necessário, pois o homem é tanto um ser espiritual quanto racional.

Bioética é o estudo transdisciplinar entre biologia, medicina e filosofia (dessa, especialmente as disciplina da ética, da moral e da metafísica), que investiga todas as condições necessárias para uma administração responsável da vida humana (em geral) e da pessoa (em particular). Considera, portanto, a responsabilidade moral de cientistas em suas pesquisas, bem como de suas aplicações. São temas dessa área, questões delicadas como a fertilização in vitro, o aborto, a clonagem, a eutanásia, e os transgênicos.

A Ética surge como uma resposta a problemas, é uma reflexão-ação com base na realidade. A Bioética, atualmente, é considerada como sendo a Ética Aplicada às questões da saúde e da pesquisa em seres humanos, ou seja, é ética da vida. A Bioética aborda estes novos problemas de forma original, secular, interdisciplinar, contemporânea, global e sistemática. Desta forma, estimula novos patamares de discussão que podem possibilitar soluções adequadas. A Bioética busca maior humanização nas relações entre médico, paciente e sociedade. É a ciência com consciência.

Nunca se falou tanto sobre ética no comportamento humano com o objetivo de buscar um modelo de vida inspirado no respeito ao homem, como nos últimos anos. Essa preocupação saiu do âmbito filosófico- acadêmico e está fazendo com que as pessoas comuns reflitam: O que é certo ou errado? Como pensar e agir? Até onde a ciência pode avançar? Dignidade humana? A chave para responder a estas perguntas está na utilização do conhecimento para a melhoria da qualidade de vida humana, já que o saber e a ciência devem ser vistos como patrimônio da humanidade.

O avanço da biotecnologia tem trazido muitas conquistas à humanidade, mas também, muitos riscos, assim, a aplicabilidade dos procedimentos na investigação científica, precisa ser revista e repensada, pois embora possa ser científico nem sempre é ético. Afinal de contas, até que ponto a ciência "age" em benefício da humanidade? Daí a necessidade de se compreender a bioética.

Trabalhar com bioética no Brasil é pensar menos em tecnologias de ponta e voltar nossos olhares para o cidadão comum, carente de oportunidades, e merecedor de uma atenção que proporcione um mínimo de dignidade a cada ser humano. Pensar o desenvolvimento sem olhar os pequenos é passar ao lado da realidade.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home