10 novembro 2015

Quaisqualigundum é música em quadrinhos


Traços, cores e palavras traduzem a música de Adoniran Barbosa (1910-1982) no álbum Quaisqualigundum. Com roteiro de Roger Cruz e desenhos em guache e aquarela de Davi Calil, o trabalho é composto por quatro histórias com personagens das músicas de Adoniran Barbosa. Os autores se baseiam em clássicos como Saudosa Maloca, Apaga o Fogo, Mané, Um Samba no Bexiga e Samba do Arnesto. Eles não fazem uma mera adaptação das suas letras, edificam construções de personagens que extrapolam os limites temporais ou temáticos das canções. Assim o leitor é apresentado ao cantor e compositor paulista com narrativas cheias de tragicomédia, boemia, urgência social e linguagem popular.

A grafia dos diálogos faz com que o leitor ouça as letras como são ditas pelas pessoas retratadas nos sambas. Já a arte privilegia as cores aquentes realçando a percepção dos quadrinhos. Alternando entre momentos de humor e melancolia, com um desenho estilizado, cores contrastantes, possui uma narrativa dinâmica e em alguns momentos quase cinematográfica.

Os diálogos refeitos com uma abordagem paulistana/ caipira/italiana promovem um delicioso passeio por bairros como Brás e Bixiga, mostrando figuras bem paulistanas. Os traços criados por Calil revelam referências iconográficas de vielas e cortiços, com um inventivo uso de planos gerais, primeiros planos e planos detalhes.

Maloca, a primeira história, mostra a vida pregressa dos três amigos (“eu, Matogrosso e Joca”), da vivência dura das ruas de São Paulo no sonho de ter um lugar seu. Já na Saga de Ernesto, descobrimos porque o Ernesto não compareceu no samba programado. Mostra as confusões que o “jeitinho brasileiro” do Ernesto o colocam.

Um sujeito de bom coração, prestativo, solidário, parceiro. Assim é o Mané, o que é passado para traz devido a inocência. E a última mostra a confusão ocorrida com Cipolla e Bracholas em Um Samba no Bixiga.

O prefácio foi escrito pelo jornalista e editor Sidney Gusmão (“...uma porta de entrada maravilhosa para que novas gerações se interessem mais sobre este gênero do samba brasileiro – e não apenas paulistano”) e o texto as orelhas da obra foi escrito pelo músico e compositor Emicida (“ilustrar histórias como essa é fazer mergulhar migalhas de pão para que todos encontrem novamente seu caminho de casa”). Ambos comentando a importância histórica e cultural de Adoniran Barbosa assim como o resgate de sua obra.


O álbum foi lançado em julho de 2014 pela Editora Dead Hamster (edição especial) e só quando fui em São Paulo, em setembro de 2015 que conseguir comprar um exemplar. 

É muito difícil de conseguir esse tipo de publicação alternativa em Salvador, mesmo com duas lojas especializadas em quadrinhos.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home