27 fevereiro 2013

Dicionário registra as expressões sertanejas

Um dicionário com mais de 3.000 palavras apresenta a fala dos sertões, veredas, botecos e periferias. Trata-se do Dicionário Catrumano, dos pesquisadores Téo Azevedo (mineiro) e Assis Ângelo (paraibano), editado pela Letras & Letras. Catrumano, um dos verbetes do livro, quer dizer “homem sertanejo de grande valor”. O livro tem como matriz a fala do sertanejo, tanto das veredas de Minas como o dos cafundós da Paraíba.

O caráter interestadual ainda é ampliado com centenas de expressões típicas de botecos de cidades como São Paulo, onde os sertanejos, em seus momentos de banzo, reinventam a sintaxe. O jeito de falar diferente a mesma palavra, com mudança na sílaba tônica ou apenas a supressão de uma letra, também é registrado no dicionário. Uma das boas coisas do livro é recuperar palavras e expressões faladas hoje somente pelos nordestinos mais velhos.

EDIÇÕES - Antes da coleta da dupla Azevedo & Ângelo, outros estudiosos do folclore fizeram versões mais localizadas com expressões regionais de alguns estados. Em 1956 saia a segunda edição do “Dicionário de Vocábulos Brasileiros”, de Beaurepaire-Rohan. No ano seguinte era editado o “Novo Dicionário da Gïria Brasileira”, terceira edição, de Manuel Viotti. Ainda em 73, Florival Seraine editava o “Dicionário da Gíria Brasileira” e Tomé Cabral o seu “Dicionário de Termos e Expressões Populares”.

Na Bahia os pesquisadores que estudaram o assunto foram: Em 1977, Eriberto Trigueiros lançava “A Língua e o Folclore da Bahia do São Francisco”. No mesmo ano, Alexandre Passos publicava “A Gíria Baiana”. Nivaldo Lariú lançou em 1991, com sucesso, “Dicionário Baianês”. Como a língua de um país é feita pelo povo, eis aí o registro das expressões sertanejas. Divirta-se:

A
Abacaxi - Tarefa difícil de resolver, coisa ou pessoa desagradável.
Abafar - Tomar conta das coisas de alguém. Surpreender, encantar, esconder. Gatuno.
Abestalhado - Abobado, tolo.
Abrir o bico - Falar segredos.
Abusado - Metido, impertinente.
Aca - Cheiro de bode.
Acabado - Homem de saúde fraca, no fim da vida, arruinado.
Acabrunhado - Triste. Vergonhoso.
Acerto - Acordo, trato, contrato.
Acuado - Sem saída.
Afobado - Apressado. Sujeito trapalhão.
Afogar o ganso - Praticar o ato sexual.
Apoquentado - Nervoso
Aturar - Aguentar.
Azucrinar - Incomodar, aborrecer.


B
Bafafá - Bate-boca, confusão.
Bamba - Mole, pessoa inteligente, grande sambista.
Baque - Queda, surpresa.
Beata - Mulher rezadeira.
Bicota - Beijo.
Bitolado - Pessoa sem visão de futuro, limitada.
Bocó - Tolo, besta, boboca, pamonha.
Bode - Confusão, fuzuê.
Bodega - Pequena mercearia, venda, coisa sem valor, bar.
Bodum - Catinga de bode.
Bóia - Comida.
Bolacha - Bofetada, tapa.
Bolir - Mexer.
Brenha - Mato fechado, matagal.
Brocoio - Sujeito bobo, sem iniciativa, tolo.
Broto - Mulher jovem, moça na “flor da idade”.


C
Cabeçada - Erro, dá-se mal. Pancada com a cabeça.
Cabeçudo - Teimoso, marruá.
Cabrita - Menina, moça, provocante.
Cabrocha - Mulata jovem.
Cachimbo-apagado - Político decadente.
Cacimba - Pequeno poço de onde se retira água pra beber.
Caçuar - Rir de outra pessoa.
Calunga - Ajudante de caminhão.
Camarada - Indivíduo, companheiro, empregado rural.
Cambada - Grupo de malandros.
Cantoria - Reunião de cantadores.
Capanga - Pistoleiro.
Carneirada - Grupo de eleitores que vota por interesse pessoal. Diz-se “eleitor cabresto”.
Catinga - Fedor, mal cheiro.
Catrumano - Homem sertanejo de grande valor.
Cear - Jantar.
Cheia - Enchente, inundação.
Chuvisco - Chuva fina.
Curtido - Queimado de sol. Pessoa experiente. Couro beneficiado.


D
Danação - Alvoroço.
De-cumê - Qualquer comida.
Defumar - Forma de curtir carnes com fumaça.
Dengoso - Manhoso, carente.
Dependura - Comprar fiado, deixar uma conta “no prego”.
Desaforado - Danado.
Desbocada - Pessoa sem pudor que diz palavrão a toda hora.
Descambar - Sumir.
Descartar - Mudar de conversa.
Desembuchar - Desabafar, confessar. Fazer grandes revelações.
Desfeita - Desaforo.
Desforra - Vingança.
Dinherudo - Homem rico, com muito dinheiro.
Distambocado - Sujeito grosso, que fez grosseria.


E
Eito - Pedaço de terra onde se planta, roçado.
Embamburrado - Chateado.
Embromação - Conversa sem fim e descompromissada. Perda de tempo.
Embromar - Enrolar.
Emburrado - Zamgado, amuado.
Encafifado - Preocupado.
Encasquetar - Entezar, irritar.
Enfezado - Enraivecido.
Endurecer-o-cangote - Desobedecer.
Enfronhar - Entrar em algum lugar depresa e sorrateiro.
Emperiquitado - Bem-vestido.
Empestiar - Encher; espalhar com rapidez.
Ensopado - Molhado, encharcado.
Entrevado - Encolhido, torto.


F
Fichado - Indiciado em inquérito, ter passagem pela polícia.
Fifó - Lamparina.
Fogaréu - Incêndio.
Fole - Sanfona.
Folia - Festa popular.
Fome-Canina - Esfomeado.
Forjar - Falsificar.
Forrobodó - Baile popular. Briga, confusão.
Fuça - Rosto, cara.
Fuinha - Pessoa ordinária.
Fuleiro - Ruim, sem valor, ordinário.
Fuleragem - Ato ordinário.
Fulustreco - João-ninguém.
Fuzuê - Confusão.


G
Gamado - Apaixonado.
Gambá - Sujeito que não gosta de tomar banho.
Gastura - Mal-estar.
Giba - Corcunda.
Gira - Biruta.
Ginete - Vaqueiro.
Gogó - Garganta, goela.
Gororoba - Comida grosseira.
Grude - Amizade sólida entre duas pessoas.


I
Iaiá - Menina moça, antigamente.
Inchaço - Tumor.
Inhaca - Azar; cheiro de corpo.
Inteirado - A par, comunicado, informado.
Intrincado - Complicado.
Invocado - Cismado, emburrado, desconfiado.


J
Jabá - Charque, carne seca, carne-do-sertão.
Janota - Sujeito que anda vestido no rigor da moda.
Jeca - Matuto.
Jiboiar - Dormir depois do almoço.
Jirico - Trator pequeno, jegue.
Joça - Coisa sem valor; josta.


L
Lacraia - Sujeito ordinário; ferino; inseto.
Lalau - Ladrão.
Lambuzar - Sujar, emporcalhar.
Lascado- Em má situação, em dificuldade.
Latejar - Pulsar de forma dolorida.
Lazarino - Pessoa elegante, sempre bem-vestida, boa pinta; alto.
Lelé - Doido, tan-tan.
Lorota - Mentira.
Lote - Quantidade.
Luxar -


M
Macaca - Má-sorte.
Macambúzio - Jururú, triste.
Maciota - Moleza, esperteza.
Maldar - Suspeitar, pré-julgar.
Maloqueiro - Desocupado, vagabundo, arruaceiro.
Mandinga - Feitiçaria.
Mão-cheia - Liberal.
Marmelada - Desonestidade.
Mateiro - Homem do sertão.
Matutar - Pensar.
Matuto - Pessoa simples, nascida na zona rural.
Merenda - Lanche.
Mormaço - Tempo quente, calor.
Mixuruca - Porcaria; coisa pequena; insignificante.


N
Nhé-nhém-nhém - Conversa mole, vazia. Perda de tempo.
Nica - Moeda.
Noitão - Alta-noite.


O
Onça - Coisa que não presta.
Oferecido - Intrometido; solícito.
Oxente! - Corruptela da expressão “oh! gente”.


P
Palerma - Tolo, bobo.
Palpite - Pressentimento.
Pão-duro - Sovina.
Pangaré - Cavalo belho.
Papar - Comer.
Parangolé - Coisa do arco-da-velha, antiga. Coisa complicada.
Parrudo - Forte, musculoso.
Patacoada - Embromação.
Patavina - Coisa sem valor.
Peitar - Enfrentar.
Pena - Dó.
Pindura - Fiado. Estar sem dinheiro.
Pinóia - Coisa ordinária.


Q
Queimadeira - Azia.
Queixudo - Teimoso.
Quentão - Mistura de cachaça com gengibre.
Quente - Ligeiramente alcoolizado.
Quinhão - Porção.
Quinquilharia - Coisa velha.
Quizila - Bronca; azar; feitiço.


R
Rajada - Vento forte.
Ranzinza - Irritado, zangado, teimoso.
Rapapé - Tipo de rasteira, escorregão.
Remediar - Dar jeito a uma situação, consertar.
Rês - Boi (ou vaca).
Resmungar - Reclamar.
Retalho - Pedaço, sobra de feira.
Retirada - Ir-se embora.
Rezador - Benzedor, curador.
Rodear - Acercar-se, aproximar-se.


S
Sambado - Usado.
Santa - Donzela, pessoa sonsa, fingida.
Sapecar - Atirar algo em alguém.
Sequidão - Grande estiagem, seca.
Sina - Destino.
Solavanco - Empurrão.
Sopapo - Tapa, murro.
Surrupiar - Furtar.
Suceder - Acontecer.
Surrada - Roupa velha.
Sustança - Força, saúde.


T
Tacada - De uma só vez, pancada.
Taco - Pedaço.
Taipa - Parede de barro e varas amarradas com cipós.
Tampa-de-binga - Homem de pequena estatura.
Tapado - Grosso; pessoa a quem falta inteligência.
Tia - Moça velha.
Tinindo - O mesmo que "novinho em folha". Bom, ótimo.
Tocaia - Emboscada.
Toró - Chuva forte.
Tramoia - Plano desonesto.


U
Unha-de-fome - Avarento.
Untar - Molhar, ensopar.
Urticaria - Coceira intermitente.
Urucubaca - Azar.
Uzurado - Ganancioso.


V
Vadiar - Brincar, divertir-se.
Vaquejar - Tanger o gado.
Vara-Pau - Homem muito alto.
Varado - Esganado, esfomeado.
Veaco - Pessoa que não paga dívida.
Vera - Verdade.
Venda - Bodega.
Vistoso - Bonito.


X
Xepa - Comida de gente pobre; gororoba.
Xereta - Pessoa intrometida, curiosa.
Xilindró - Cadeia, prisão.
Xodó - Namoro.


Z
Zangado - Estar com raiva.
Zanzar - Vagar.
Zebedeu - João-ninguém.
Zé-Povinho - Ralé.
Zonzo - Tonto.
Zuada - Barulho.
------------------------------------------------------------
Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Brotas), Galeria do Livro (Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves), na Pérola Negra (Barris em frente a Biblioteca Pública) e na Midialouca (Rua das Laranjeiras, 28, Pelourinho. Tel: 3321-1596). E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929)

1 Comentários:

At 11:54 AM, Blogger Stefane Guimarães said...

oxente não tem nada de "Oh gente"

oxente é uma expressão que se deriva em varios sentimentos. não tem um significado pra ela. pode ate ser a variação como você diz, como muitas palavras aqui na bahia.
Mas o verdadeiro significado de oxente só o bahiano sabe!

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home