20 outubro 2014

Oceano de Ar




Três grandes cientistas do século XVII, Galileu Galilei, Evangelista Torricelli e Robert Boyle,transformaram permanentemente a maneira como nós enxergamos o mundo. Eles descobriram que vivemos no fundo de um oceano de ar. Em seguida veio Joseph Priestley, fez experimentos com o ar, mas o papel crucial do oxigênio para possibilitar a vida no planeta seria descoberto por Antoine Lavoisier.



O ar é muito mais do que aquilo que respiramos. Ele é a substância que milagrosamente se transforma em alimento sólido, e sim o qual todas as criaturas que habitam o planeta passariam fome. Ele é o cobertor que envolve a Terra e garante que ela permaneça aquecida. É o espelho metálico suspenso no ar que reflete e propaga as ondas de rádio pelo mundo afora, e são as camadas externas da nossa atmosfera que nos protege da fúria de explosões solares mais potentes do que todas as ogivas nucleares do mundo juntas.

Oceano de ar, de Gabrielle Walker (Ideia & Ação, 2009) é uma celebração da chamada literatura científica para leigos.

Quando nosso mundo nasceu, ele veio envolto num oceano de ar. Assim como o Sol e os outrosplanetas do nosso sistema solar, a Terra se formou quando uma nuvem disforme de gases, poeira e fragmentos de rocha começou a se contrair e a se aglutinar. Nesse processo, a poeira e as rochasensanduicharamparte dos gases no seu interior e quase todo o resto ficou pairando em torno do planeta formando um momento que a força da gravidade tratava de segurar firme no lugar.


Não existia oxigênio. Mas um novo tipo de reação química inventado entre 2,5 e 3,5 bilhões de anos atrás por uma classe de micróbios chamados de cianabactérias. São criaturas tão minúsculas que uma simples gota d'água pode abrigar uma população de bilhões. Esses micróbios foram os primeiros seres que aprenderam a usar a energia do sol para decompor a água e fabricar alimento, num processo que nós hoje chamamos de fotossíntese. Ao fazer isso, começaram a liberar delicadas bolhas de uma certa substância residual: o oxigênio.

E é por causa disso que nós podemos respirar hoje. No mesmo ritmo em que nós animaisconsumimos o oxigênio através da respiração, as plantas o devolvem para a atmosfera. Funciona como se fosse o pulmão do planeta.


A chegada do oxigênio no ar estava destinada a mudar de forma drástica o curso da evolução. Enquanto ele existiu na atmosfera em quantidades reduzidas demais para serem úteis as criaturas que viviam imersas nele, essas criaturas foram forçadas a permanecer lentas e microscópicas.

E cerca de 600 milhões de anos em que a concentração mínima do gás na atmosfera enfim foi ultrapassada, houve uma drástica explosão de mudança evolucionária da história do planeta. Novas criaturas gigantescas apareceram.

Nós necessitamos do oxigênio porque precisamos da reatividade extraordinária que esse elemento possui. Sem ele, os seres humanos jamais poderiam ter aparecido.

Sempre que participa de uma reação química, o oxigênio libera minúsculas partículas carregadas negativamente chamadas de elétrons. Essas partículas se encontram naturalmente presentes em todos os átomos e moléculas, e, assim como as pessoas, elas se mostram mais estáveis quando estão aos pares. A entidade química que continha um desses elétrons solitários e errantes é chamada de radical livre, e constitui uma das forças mais reativas e destrutivas existentes no planeta. Os radicais livres devastam tudo em seu caminho, separando pares estáveis e criando ainda mais radicais livresque por sua vez partem em suas próprias jornadas de destruição.

Nossos corpos vivem em estado de alerta permanente, sempre prontos para liberar um exército de substâncias químicas chamadas de anti oxidentes. Existem uma verdadeira guerra acontecendo o tempo todo em cada célula do nosso organismo para evitar que os radicais livres se formem, eliminar aqueles que conseguem aparecer e promover o suicídio celular caso as forças invasores ganhem terreno demais.

Todas as doenças típicas do envelhecimentocomo a demência, o câncer e os males do coraçãonascem da acumulação dos danos provocados pelos radicais livres. Esse é um dos motivos pelos quais manter uma dieta rica em frutas e vegetais frescos ajuda a nos proteger dessas doenças: esses são alimentos cheios de antioxidantes, que eliminam os radicais livres.

Cada lufada de oxigênio que você respira lhe tudo aquilo que faz o vida valer a pena, mas no final a própria vida terá que ser entregue como pagamento. A química do oxigênio guarda em si a essência fundamental da condição humana.

Nós respiramos oxigênio para queimar o combustível do nosso organismo, e exalam dióxido de carbono como um subproduto desse processo. As plantas fazem o contrárioelas absorvem  o dióxido e carbono para fabricar o seu alimento, e exalam oxigênio como o seu subproduto.

Malária, literalmente mau ar

Cada palavra que sai da sua boca, em especial aquelas com consoantes explosivas como o p e o t, jogam no ar uma chuva de bactérias prontas para viajarem no vento.

O ozônio desempenha um papel importante para nossas vidas. Acerca de 30 mil quilômetros do chão ele forma uma camada de proteção, o primeiro dos três invólucros de ar que protegem as criaturas na Terra da hostilidade do ambiente espacial.   



0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home