13 junho 2018

Governadores da Bahia (08)


Antônio Imbassahy (1994-1995). ACM deixou o cargo para concorrer ao Senado, ficado Paulo Souto, seu vice, como candidato de sua confiança para sucedê-lo. No entanto, Souto também deixou o posto para se candidatar a deputado, já que na época a legislação eleitoral não permitia reeleição. Dessa forma, assumiu interinamente a liderança do Executivo Estadual o presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, desembargador Ruy Trindade.  A Assembleia Legislativa escolheu Imbassahy como governador. Imbassahy governou a Bahia até 1º de janeiro de 1995, passando o caro para o sucessor e aliado, Paulo Souto, ambos alinhados à família Magalhães.


Paulo Souto (1995-1999). Governador eleito. Sua primeira gestão à frente do Estado foi marcada por grandes programas, como o Bahia Azul, que aumentou de 25% para 80% a cobertura da rede de esgoto residencial de Salvador e foi renomeado pelo atual governo. Além do Bahia Azul, Souto implantou programas sociais como Viver Melhor, Cabra Forte e Pró Gavião.

César Borges (1999-2002). Não concluiu o mandato, para em 2002 eleger-se senador. Renunciou, assumindo o vice, Ottto Alencar.

Otto Alencar (2002-2003). Vice governador.

Paulo Souto (2003-2007). Governador eleito. Neste segundo mandato, iniciado em 1º de janeiro de 003, Souto destacou seu trabalho para o turismo econsolidou a Bahia como uma das principais economias do país com seu governo voltado ao desenvolvimento.


Jaques Wagner (2007-2011). Governador eleito. Uma das obras mais elogiadas da gestão Wagner é o Hospital do Subúrbio, primeiro hospital do país a ser construído em parceria público-privada (PPP). Em 2012, ocorreram greves da Polícia Militar e dos Professores do Estado, essa última com duração de 115 dias (a maior da história da Bahia), as quais desgastaram a imagem de Wagner.

Jaques Wagner (2010-2011). Governador reeleito. Em 2014, a Polícia Militar realizou outra greve no estado, que só durou três dias. Assim que o movimento começou, Wagner pediu a ajuda da Força Nacional, que se deslocou para a Bahia, apesar de não ter diminuído a insegurança da população. Durante o período de paralisação ocorreram 59 homicídios e 156 carros roubados. Desta vez, a imagem do governante não ficou tão arranhada, principalmente devido à prisão de Prisco, mas trouxe novamente não ficou questão da falência da Segurança Pública no estado, considerada o “calcanhar de aquiles” do governador.

Rui Costa (2015-2018). Rui Costa foi escolhido como candidato do PT ao Governo do Estado da Bahia nas eleições 2014, e eleito no 1º turno com 54,53% dos votos válidos. No seu governo houve avanço na construção das estações da linha do Metrô, noscorredores transversais como  Pinto de Aguiar, Orlando Gomes, 29 de Março e Gal Costa. Avançou também nas obras de habitação, contenção de encostas, abastecimento de água e esgotamento sanitário. Mas o estado continua com altos indices de violência, além de outros problemas graves.



0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home