16 julho 2015

Significado das cores (4)



Definições do AZUL:

1. O Azul é a cor preferida de mais de metade da população ocidental (Idênticos resultados nos Estados Unidos e Canadá).

2. Cor do Infinito, do Longínquo, do Sonho (O azul parece longe - o céu, o horizonte, o ar são azuis). Cor do Romantismo. O azul de Werther e de Novalis. Cor da evasão. O azul acalma (por isso pinta-se de azul as camas dos hospitais. Os Blues. Estar azul (nostálgico, melancólico). Cor da noite (na banda desenhada).Hora Azul(nos EUA e no Canadá é a hora de saída dos escritórios). Bares, álcool (em alemão embriagado diz-se blau). Nas embalagens de medicamentos, os calmantes e os soníferos têm a ver com a cor azul.

3. Cor da Fidelidade, do Amor, da (Azul = amor fiel - ao contrário do verde = amor infiel). Cor da Virgem Maria desde o século XII. Cor da Renúncia, Humildade, que não agride. Cor da Paz (ONU, UNESCO, Conselho da Europa).

4. Cor do Frio, da Frescura, da Água (A cor simbólica da água hoje é azul). Na Idade Média era verde. O azul é mais frio que o branco (torneira azul é a da água fria). Frescura do azul (diferente da do verde). Azul claro sinal de esterilizado (usado nos meios hospitalares).

5. Cor real e aristocrática (Cor dos reis). Heráldica dos reis de França. Manto de consagração = manto azul.Sangue azul= origens nobres. Lápis-azul, a mais nobre das pedras preciosas.

6. Ainda um subrepto (Durante séculos houve dificuldades para tingir um tecido de azul - eram tingidos de cinza e depois desbotados). Os jeans, as calças moralizadas (azul = preto ou sombrio), o fato protestante. O azul-marinho do século XX, que substitui em muitas situações o preto do século XIX, fatos dos militares, dos políciais, dos desportistas, dos bombeiros, dos religiosos. O azul-marinho foi tornado a cor da Civilização Ocidental aos olhos das outras civilizações.


VERDE foi então a cor de Rui Orfão. As suas pinturas (na época destas performatividades) abriam moldura sobre metafísicaspaisagens sem fim, onde a cor verde merecia excelência e afirmação. Todo um caminho de captação formal que acabou por o conduzir à realização no domínio da Arquitetura (disciplina onde ainda hoje fundamentalmente opera).

Eis como Pastoureau entende que poderia apresentar-se um quadro para resumo das diferentes funções e significados da cor verde na cultura ocidental:

1. Cor do destino, da dita e da desdita, da fortuna, do dinheiro, do acaso, da esperança (A esmeralda, que traz felicidade ou infelicidade). O dólar, nota verde, símbolo do dinheiro e do sucesso. Os panos de jogos de cartas e de jogos de casinos; alíngua verdeque é, originalmente, a dos jogadores de cartas. A superatição que rodeia a cor verde: mulheres que nunca vestiriam um vestido verde (ou usariam uma esmeralda); atores que não querem vestir-se de verde em cena. Panos verdes dos conselhos de administração.

2. Cor da natureza, da ecologia, da higiene, da saúde, da frescura (Os vegetais, os legumes verdes, a
dietética). O campo,meter-se no verde” (ir até ao campo). A caça, os fatos de caça. Osespaços verdes, ospulmões verdesdo meio urbano. A ecologia, o movimento dos Verdes em todos os países, Greenpeace, etc. A clorofila, os bombons de mentol (frescura na boca). As cruzes verdes das farmácias (em França ou em Portugal; em Itália são vermelhas). O laço histórico entre cor verde e medicina (porque, durante séculos, todos os medicamentos foram à base de plantas). Higiene pública: caixotes de lixo, furgonetas de recolha do lixo, sacos para lixo de cor verde.  O verde, cor calmante: pintam-se de verde as paredes das escolas, dos escritórios, das casernas.

3. Cor da juventude, da seiva que sobe, da libertinagem: Verde, cor da juventude (pelo menos desde o século XIII). Verde, cor do amor infiel e da libertinagem: um verdegalante. Verde, cor da desordem, da transgressão. Verde, cor da loucura (em associação com o amarelo).

4. Cor da permissão, da liberdade (Nos semáforos: o verde é a cor de autorização de passar;dar luz verde”).  Cor da liberdade, porque cor da natureza e da juventude.

5. Cor do Diabo e do que é estranho (Cor do Diabo, pelo menos desde o século XIII). Cor simbólica do Islão (Maomé usava um estandarte e um turbante verdes, portanto pode ser diabólica aos olhos dos adversários do Islão). Cor daquilo que é estranho e inquietante: homenzinhos verdes, marcianos.

6. Cor ácida, que pica e envenena (Cor do veneno  - em alemão, giftgrün designa um verde amarelado). Maçã verde. Ácidos.
................................................................................................

O livro "Breviário da Bahia" 
está sendo  vendido 
com exclusividade 
no Pérola Negra, 
em frente a 
Biblioteca Central dos Barris.  
Tel: 3336-6997. 
Rua General Labatut, 137, 
Shopping Colonial (loja 01), 
Barris

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home