24 março 2010

Yansan

Filha de Nanã. Ela é a deusa dos ventos, das tempestades, dos tufões, dos elementos aéreos ligados ao relâmpago (ar + movimento = ao fogo). É a deusa do rio Níger da África que em iorubá, chama-se Odò Oya. Comanda os eguns (os mortos). Extrovertida e sensual como poucas. Foi a primeira esposa de Xangô. Tinha um temperamento ardente e impetuoso. Destemida, justiceira e guerreira, não teme a nada. Registram-se, em literatura, 17 qualidades sendo as mais conhecidas: Oya, Onyra, Bagam, Egunita, Benek, Cenou, Bomini e Muriai, a Iansã-do-Bale que preside a festa dos Egun).

Conta umas das lendas de Iansã, a primeira esposa de SÀNGÓ, teria ido, a seu mandato, a um reino vizinho buscar 3 cabaças que estava com Obalúayé. Foi dito a ela que não abrisse estas cabaças, as quais ela deveria trazer de volta a SÀNGÓ. Iansã foi e lá Obalúayè recomendou mais uma vez que não deixasse as cabaças caírem e quebrarem e, se isto acontecesse, que ela não olhasse e fosse embora. Iansã ia muito apressada e não aguentava mais segurar o segredo.


Um pouco mais à frente quebrou a primeira cabaça, desrespeitando a vontade de Obalúayé. Saíram de dentro da cabaça os ventos que a levou para o céu. Quando terminaram os ventos, Iansã voltou e quebrou a segunda cabaça. Da segunda cabaça saíram os Eguns. Ela se assustou e gritou: Reiiii! Na vez da terceira cabaça SÀNGÓ chegou e pegou para si, que era a cabaça do fogo, dos raios. Ela tinha um temperamento ardente e impetuoso. Foi a única entre as mulheres de SÀNGÓ que , no fim do seu reinado, o seguiu em sua fuga para Tapá. Quando ele recolheu-se para baixo da terra em Cosso, ela fez o mesmo em Yiá.

YANSÃ = Santa Bárbara

COR: amarelo escuro - Festa: Dia 04 de dezembro

AMALÁ: 7 velas brancas e 7 amarelo escuro, água mineral, acarajé ou milho em espiga coberto com mel ou ainda canjica amarela, fitas branca e amarelo escuro e flores. Local de entrega em pedra ao lado de um rio.


ERVAS: (Banho de descarrego): Catinga de mulata – Cordão de frade – Gerânio cor-de-rosa ou vermelho, Acúcena – Folhas de Rosa Branca – Erva de Santa Bárbara.


FONTES:

http://www.africanasraizes.com.br/cultura.html

http://www.acordacultura.org.br

http://bravoafrobrasil.blogspot.com/2009/10/lendas-africanas.html

http://estudoreligioso.wordpress.com

http://www.lendas.orixas.nom.br

------------------------------------------------------------------


Quem desejar adquirir o livro Bahia um Estado D´Alma, sobre a cultura do nosso estado, a obra encontra-se à venda nas livrarias LDM (Piedade), Galeria do Livro (Boulevard 161 no Itaigara e no Espaço Cultural Itau Cinema Glauber Rocha na Praça Castro Alves) e na Pérola Negra (ao lado da Escola de Teatro da UFBA, Canela) E quem desejar ler o livro Feras do Humor Baiano, a obra encontra-se à venda no RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho, 32, Rio Vermelho. Tel: 3347-4929

1 Comentários:

At 12:45 AM, Anonymous Cathy said...

"O raio de Iansã sou eu cegando o aço das armas de quem guerreia. E o vento de Iansã também sou eu. Que Santa Bárbara é santa que me clareia. A minha voz é o vento de maio cruzando os ares, os mares e o chão. E meu olhar tem a força do raio que vem de dentro do meu coração. O raio de Iansã sou eu. Eu não conheço rajada de vento mais poderosa que a minha paixão.
E quando o amor relampeia aqui dentro vira um corisco esse meu coração. Eu sou a casa do raio e do vento. Por onde eu passo é zunido e clarão, porque Iansã, desde o meu nascimento, tornou-se a dona do meu coração. O raio de Iansã sou eu, e o vento de Iansã também sou eu".
(A dona do raio e do vento, de Maria Bethânia)

*Ninguém canta tão bem Oyá como Bethânia...

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home