20 março 2018

Quarta Revolução Industrial: Inteligência Artificial (01)



A humanidade sempre se deparou com o medo ao adentrar numa nova era. Foi assim na Revolução Agrícola, na Industrial, na Tecnológica e agora nos primórdios desta quarta Revolução, a da Inteligência Artificial. Sabemos que o ser humano é dotado de dois grandes sistemas: o físico e o mental – o cognitivo. Até agora, todas as revoluções substituíram a função do ser humano na sua característica física, manual. A inteligência artificial veio para substituir a inteligência cognitiva. Este é o novo desafio. 


Nesta quarta revolução industrial, cada vez mais etapas da produção, distribuição venda de produtos será feita por máquinas inteligentes. Isso trará mais riqueza, mas forçará o deslocamento da força de trabalho humana para atividades diferentes das que fazem hoje. A sociedade precisa discutir este processo para que ele ocorra de modo a aumentar a riqueza sim, mas com justiça social.

Para Alberto Ferreira de Souza, professor de Ciência da Computação e Coordenador do Laboratório de Computação de Alto Desempenho da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), “nós, humanos, nascemos sabendo muito pouco – precisamos aprender até como andar e falar. Apesar da necessidade de educar a todos, a atividade de ensinar evoluiu pouco desde Platão e Aristóteles e das “escolas” que criaram na Grécia antiga. Muito embora novas tecnologias, especialmente a Internet, estejam transformando a educação, a forma como aprendemos não deve mudar muito no curto prazo devido às restrições impostas biologia de nosso corpo”.


“Mas haverá um aumento contínuo da presença de robôs na educação formal tão logo robôs humanoides passem a habitar entre nós. Ou seja, no futuro, os professores serão, em sua maioria, robôs. Até chegarmos lá haverá uma mudança contínua do mercado de trabalho, com substituição de pessoas por máquinas inteligentes”.

A primeira revolução industrial foi das máquinas de tear e a vapor. A segunda, a da eletricidade. Em 1980, houve a entrada da tecnologia e dos computadores em massa. Agora, na quarta revolução, teremos a união da inteligência artificial de robôs e humanoides com seres humanos.


É a interface homem-máquina, que exige muito mais conhecimento, não o técnico, conhecimento sobre essa nova sociedade. Um exemplo: pela saliva, é possível sequenciar o seu genoma por apenas US$ 22. Há 12 anos, custava US$ 3 bilhões. Estamos vivendo a quarta revolução industrial, que é a união entre os mundos físico, digital e biológico.

0 Comentários:

Postar um comentário

<< Home