21 setembro 2015

No dia da árvore descubra o que ela pode oferecer a todos



Hoje, dia 21 de setembro, o Brasil comemora mais um Dia da Árvore. O motivo que levou a escolher esta
data foi devido aos povos indígenas brasileiros sempre cultuarem as árvores na época das chuvas, ou quando se preparava a terra para semear. Então, nada melhor do que escolher o dia que marca o início da primavera no país. As árvores mais típicas das cinco regiões do Brasil são: a Castanheira, a Carnaúba (Nordeste), Ipê-amarelo, o Pinheiro-do-Paraná e o Pau-Brasil, árvore que deu origem ao nome do nosso país.

As árvores podem promover diversos benefícios nas áreas urbanas, como: regularidade do clima, redução da poluição atmosférica, melhoria do ciclo hidrológico (melhor regularidade de chuvas), redução da velocidade dos ventos, melhoria das condições do
solo urbano, aumento da diversidade e quantidade da fauna nas cidades, especialmente de pássaros, melhoria das condições acústicas, diminuindo a poluição sonora, opções de recreação e lazer em parques, praças e jardins, valorização dos imóveis, embelezamento das cidades. As árvores nas cidades são habitat para inúmeras espécies de aves.

Uma árvore por si só, pode nos trazer muitos benefícios. Sob o aspecto econômico, valiosos produtos, como a madeira para as construções e o mobiliário, celulose para o papel, carvão para as caldeiras, substâncias medicinais, óleos, resinas, gomas, essências, mel, frutos, flores e muitos outros. Sob o aspecto ecológico, dela recebemos incontáveis benefícios: a proteção dos solos, rios, nascentes; a preservação da vida silvestre; a manutenção da qualidade de vida, e muito mais.

ÁRVORE SÍMBOLO - Em setembro de 2004, a população da Bahia teve a oportunidade de eleger a árvore-símbolo do Estado. As árvores que estavam em votação eram: umbuzeiro, piqui, buriti, jacarandá, jequitibá e juazeiro. Com 28,60% dos votos, o umbuzeiro foi escolhido como a árvore-símbolo da Bahia. O umbuzeiro é nativo do semi-árido nordestino e a coleta dos seus frutos se constitui numa das principais fontes de renda para muitos agricultores e suas famílias no período da safra, de dezembro a março. Seu plantio no meio da caatinga aumenta a infra-estrutura produtiva e a renda das propriedades rurais.

O umbu é comestível e muito apreciado pela população que o consome ao natural, misturado com leite (umbuzada) ou sob a forma de doces diversos. A árvore possui madeira leve e mole, fácil de trabalhar, sendo empregado em obras internas, caixotaria e pasta para papel. A planta produz ótima sombra para o sertanejo, bem como para o gado. O objetivo da escolha foi sensibilizar a população baiana para a importância da flora do Estado e do plantio de mudas das espécies existentes nos biomas baianos: mata atlântica, caatinga e cerrado.

EVOLUÇÃO VEGETAL - Em geral, enxerga-se a floresta, raramente as árvores que a compõe. Mas alguns belos e históricos exemplares que sobrevivem em vários países, remanescentes de tempos mais felizes, mostram que eles também têm identidade. Nada
representa melhor a natureza que estas majestosas soberanas do reino vegetal – as árvores. Assim como o homem é o organismo mais complexo e evoluído do reino animal, as árvores simbolizam o máximo da evolução vegetal. A existência delas é fundamental para a qualidade de vida do planeta. Dão sombra, ar fresco e beleza a qualquer paisagem.

Entre as múltiplas funções e utilidades das árvores destacam-se a filtração e purificação do ar, redução da velocidade dos ventos, proteção contra o excesso de luminosidade, fornecedora de matérias-primas industriais, produção de alimentos e húmus, atração de pássaros e insetos. Além disso, podem se constituir em elemento nobre na composição de projetos paisagísticos. Além disso muitos remédios podem ser feitos a partir das árvores. Para se ter uma ideia, um em cada quatro medicamentos empregados pela indústria farmacêutica tem origem vegetal.
Quando integradas num jardim assumem destaque especial. Se o gestor municipal desejar escolher árvores destinadas à arborização de ruas, com plantio nas calçadas, devem buscar algumas com crescimento rápido, rusticidade, raiz pivotante (raiz principal se desenvolve no sentido vertical) porte médio onde a rede elétrica for aérea, frutos que não representem ameaça de transtorno, folhas perenes ou semi-caducas, e copa que proporcione boa sombra. Entre elas estão coralina, unha-de-vaca, alecrim-do-campo, alfeneiro, murta, quaresmeira-roxa e brinco-de-macaco.

Entre os municípios baianos tidos como os mais arborizados, estão: São Gonçalo dos Campos, Miguel Calmon, Santo Estevão, Mucugê, Governador Mangabeira, entre outros. O solo baiano tem um recorde no planeta a 474 espécies de árvores por hectare, conforme a organização não-governamental SOS Mata Atlântica, criada em 1986 para preservar a mata litorânea brasileira. Mas esse santuário ecológico está ameaçado por madeireiros, que desmatam com a autorização do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e com apoio de uma resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama).

Árvore é sinônimo de vida. Uma árvore pode trazer muitos benefícios, desde a sombra até a folha de papel



....................................................................
O "Breviário da Bahia" 
está sendo  vendido


com exclusividade 
no Pérola Negra, 
em frente a 
Biblioteca Central dos Barris.  
Tel: 3336-6997. 
Rua General Labatut, 137, 
Shopping Colonial (loja 01), 
Barris

0 Comentários:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home